Estação Meteorológica é aprovada pela Aviação Civil

 

Jorge Guimarães

Os fiscais da Secretaria de Aviação Civil (SAC) se reuniram ontem com o prefeito Galileu Machado (MDB), o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Alonso Dias, e o procurador-geral do Município, Wendel Santos de Oliveira. Os agentes estiveram no aeroporto Brigadeiro Cabral para inspeção final nos equipamentos que compõem a Estação Meteorológica de Superfície (EMS-A), a qual já está com sua parte física concluída.

Após realizar a inspeção, o técnico eletrônico Rudimar Antonio Bassani e a engenheira de telecomunicações Marialva Barreto Novaes aprovaram as instalações, que agora só dependem dos trâmites burocráticos para iniciar a operação.

No documento assinado por ambas as partes, em um dos parágrafos homologados, referente a “Especificações e Projetos”, constava os dizeres: “As especificações e os Projetos executivos demonstram-se de acordo com os preceitos da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), em vigor, obedecidos os requisitos e as instruções do Comando da Aeronáutica”.   

Segundo o secretário José Alonso Dias, a Azul deve iniciar as operações em agosto.

— Com tudo aprovado, no mais tardar em meados de agosto, a Azul Linhas Aéreas já estará operando novamente no Brigadeiro Cabral — avaliou o secretário.    

O aeroporto está com os voos da Azul Linhas Aéreas suspensos desde março de 2018, quando a Socicam, empresa que administrava o local, deixou a gerência da área.

Batalha

Depois de muitas negociações realizadas, finalmente no último dia 10, a Prefeitura de Divinópolis e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) assinaram o contrato de gestão e operação do Brigadeiro Cabral. Assim, a Infraero ficou responsável por várias ações, incluindo os serviços Agentes de Proteção de Aviação Civil (Apac), fiscalização das áreas do terminal de passageiros, bem como da pista de pousos e decolagens, pátio e taxiways durante o atendimento de embarques e desembarques de passageiros. Já a Prefeitura ficou com os serviços de limpeza e conservação, vigilância e manutenção, bem como os serviços de água, luz e telefonia e demais investimentos necessários. 

O contrato também prevê o atendimento de até três voos semanais, com a participação de cinco empregados, três APACs e dois fiscais de pátio devidamente habilitados, conforme regulação vigente para a execução dos serviços. Além disso, estipula o horário de funcionamento do terminal das 8h às 18h. A gestão e operação tem duração de um ano, prorrogável por mais 60 meses. 

 

Comentários
×