Está na hora de melhorar a eficiência da sua empresa

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, o número de recuperações judiciais requeridas vem aumentando ano a ano. As micro e pequenas empresas lideraram esses requerimentos de recuperação judicial e falências. O resultado é recorde histórico e o maior que se tem notícia desde a entrada em vigor da Nova Lei de Falências.

Ficar atento ao futuro cenário econômico é importante, mas isso não faz a diferença. O que realmente distingue é ficar atento aos resultados da sua empresa e prestar atenção aos fatores internos que estão ao alcance de sua influência e ação. Independentemente do que vai realmente ocorrer no cenário político-econômico nacional e internacional (será que alguém sabe?), muito precisa ser feito internamente nas empresas.

Tenho notado que há muitas pessoas reclamando demasiadamente desse momento da economia que estamos vivendo e poucas pessoas buscando soluções. Em vez de as pessoas focarem nas soluções, a maioria delas está focando nos problemas. Ora, quem passa o tempo todo reclamando das dificuldades tende a ficar nelas. Em um momento de economia estagnada, só sobrevivem aqueles que são realmente bons. É como aquele célebre ditado: “Quando a maré baixa é que a gente vê quem está de calça curta”.

Nesse momento é de extrema importância criar alternativas para encarar as dificuldades, em vez de perder energia pensando nelas. De acordo com Carlos Alberto Sicupira, um dos mais bem-sucedidos empresários do Brasil: ”Quem vincular o seu resultado ao PIB está fadado ao fracasso. Afinal, quem olha o PIB não cresce”.

Já para o sócio de Beto Sicupira, Jorge Paulo Lemann: “O Brasil nunca é tão bom quanto poderia ser, mas também não é tão ruim quanto falam. Podemos não estar no melhor momento, mas as maiores operações que tivemos foram em época de crise. O mercado e os empreendedores do Brasil são muito bons, então é melhor olhar para frente, ver como aproveitar qualquer dificuldade e o que é possível fazer a mais”. Leia mais em https://endeavor.org.br/licoes-inspiradoras-jorge-paulo-lemann.       

Segue a sugestão de uma ação muito importante para indústria e comércio, que está diretamente relacionada com a melhoria da competitividade da sua empresa e que está ao alcance de sua influência e ação: faça um levantamento de quanto a sua empresa pagou mensalmente a fornecedores e também quanto foram os recebimentos operacionais mensais. Calcule a relação em todos os meses desse ano:

 

(Pagamentos a fornecedores / Recebimentos operacionais) x 100

 

Faça uma análise cuidadosa dessa relação em todos os meses do ano. Quanto menor essa relação, melhor a sua empresa está administrando o estoque. Verifique se essa relação está crescendo na sua empresa. No caso afirmativo, procure imediatamente soluções para baixar essa relação, pois os recebimentos operacionais não estão justificando os atuais pagamentos a fornecedores. Provavelmente a sua empresa está com o estoque muito elevado e você tem que buscar alternativas para girar mais o estoque existente e, ao mesmo tempo, procurar reduzir as compras. Dessa maneira, a sua empresa terá uma menor necessidade de capital de giro e vai sobrar dinheiro para as outras obrigações financeiras da empresa, sem a necessidade de buscar recursos caríssimos no mercado financeiro.

A falta de capital de giro é um dos principais problemas das empresas, sendo gerado pelo desequilíbrio nas entradas e saídas de recursos. É impossível melhorar a competitividade das empresas sem aperfeiçoar a maneira como os gestores administram as suas necessidades de capital de giro. Portanto, fique atento, porque a maré vai varrer aquelas pessoas que não buscam melhorar os seus negócios.

 

Sei que tenho lucro na minha empresa, mas onde está o dinheiro?

 

Essa é uma dúvida muito comum no meio empresarial e a ferramenta que facilita compreender a situação é o fluxo de caixa. Entre em contato conosco por telefone: (37) 9.9987-9358 ou por e-mail: ctavares@ctavares.com.br.

 

Comentários
×