Essa nega deliciosa...

Amnysinho Rachid

  Vem chegando o fim do ano e começamos a sentir sua presença. Com as primeiras chuvas, começam a granar e, quanto mais água cair, mais doce vão ficar. Donas de uma cor e de um sabor ímpar, desafiam a gastronomia na criatividade e no grande números de pratos, do mais simples e antigo da fazenda a grandes misturas com requinte dos poderosos buffets. Das deliciosas brincadeiras de criança aos apaixonados casais, com certeza a mais chupada e dizem que a melhor maneira de aproveitá-la é trepado no pé, pérola negra abusada e atrevida nossa brasileirinha jabuticaba.

     A jabuticaba é um fruto da jabuticabeira, uma árvore frutífera brasileira da família das mirtáceas, nativa da mata atlântica...

     Sou suspeito para falar pois sou apaixonado por tudo que vem da jabuticaba: a fruta, geleia, suco, doce, molhos e tudo mais que a criatividade possa nos mostrar.

     Na nossa infância, no sítio do meu tio Adib, na época de jabuticaba aproveitávamos o máximo. Me lembro de achar os pés enormes e o maior desafio era escalá-los até as grimpas. Há pouco tempo fui lá e achei os pés bem pequenos e fui logo perguntando onde estavam aquelas árvores enormes, e lembrado pela tia Alice: “As árvores são as mesmas, vocês é que cresceram”. 

     Na minha infância, tínhamos umas vizinhas que eram muito bravas. Pensa numa dupla que dava conta de brigar com a rua toda. Pois é, eram as feras da esquina. Também não éramos santos, até muito pelo contrário, adorávamos passar e chutar a porta, para não falar de fazer xixi e sair correndo. Mas na época das deliciosas jabuticabas a coisa mudava. Ali no quintal das burricidas existia um grande pé de jabuticaba e, como eram muito organizadas, faziam uma tabela com os dias determinados para cada turma de crianças da rua degustar a iguaria. Nesta época, nos transformávamos em santos, não existia chute na porta e nem xixi. No dia marcado, entravámos em fila indiana passando pela linda sala de visita e direto para o quintal. Que delícia. Chupávamos até parar os olhinhos...

      Mas no outro dia voltávamos à rotina de chutar a porta e tudo mais, que fazia nossa alegria e irritava as duas carolas.

     Hoje, ensino nas minhas aulas um molho de jabuticaba picante que faz o maior sucesso, e vocês não imaginam a explosão de prazer em degustar um nhoque recheado de geleia de jabuticaba.

      Interessante como em tempos difíceis pequenas coisas nos remetem a tempos tão bons. Adoro encontrar nas esquinas aquelas senhorinhas da roça com seus balaios lotados desta pérola negra vendida por litro, naquelas latas antigas de óleo e vou logo dizendo “Não esquece de colocar o choro”... Lembranças deliciosas que acalentam nossa alma.

      E continuamos aqui, na certeza de momentos melhores... TOK EMPREENDIMENTOS, rua Cristal, 120, Centro.

                   

Comentários
×