Especial de Natal 2

Renata Rachid 

Hoje, para o nosso Especial de Natal, trouxemos o significado dos principais símbolos natalinos.

Muito além de simples adornos, eles possuem significados que estão relacionados às origens da celebração.

Árvore - As pessoas costumavam enfeitar as árvores para comemorar a chegada do inverno. O pinheiro então se tornou tradicionalmente a árvore símbolo do Natal, pois é uma das poucas árvores que conseguem manter as folhas verdes mesmo sob baixíssimas temperaturas, simbolizando, assim, vida e perseverança.

Estrela - Presente na história bíblica, a estrela guiou os três reis magos até o local do nascimento de Jesus. Usada como enfeite, em especial no topo da árvore de Natal, simboliza o filho de Deus, que é a estrela-guia, o caminho e o sentido da humanidade. Também são lembradas na árvore de Natal as outras estrelas que estavam no céu, na noite em que Jesus nasceu.

Presépio - Trata-se de uma representação do cenário do nascimento do menino Jesus. Todos os elementos do presépio – a sagrada família, os três reis magos e os animais – recriam o momento que o menino Jesus veio ao mundo. Simboliza, portanto, a união do divino com o terreno. 

Velas - Representam a luz que o nascimento de Jesus trouxe ao mundo, de forma a dissipar a escuridão e as trevas. Dessa forma, simbolizam a fé e a presença de Cristo no ambiente.

Anjos - Remetem à figura do Anjo Gabriel, anjo que teria anunciado à Maria que ela seria a escolhida para trazer o filho de Deus à humanidade. Por assumir o papel de mensageiro, a figura do anjo passou a simbolizar a chegada de boas notícias.

Papai-Noel - É uma figura inspirada em um bispo turco chamado Nicolau – mais tarde transformado em santo pela Igreja Católica – que costumava presentear as pessoas mais necessitadas, distribuindo saquinhos de moedas que deixava próximo as suas chaminés.

Presentes - A origem da tradição de se dar presentes no natal surgiu em razão dos presentes que os reis magos levaram para o menino Jesus. Baltazar, Belchior e Gaspar levaram ouro, mirra e incenso para Jesus.

O ouro simbolizava as riquezas da realeza e a proteção de Deus; a mirra em óleo foi ofertada para fazer a limpeza do corpo de Jesus e protegê-lo de doenças; o incenso foi levado para dar proteção por meio da crença, da fé e da oração.

A simbologia do Natal é extensa.

Por isso, selecionamos os símbolos mais comuns.

Contem-me: vocês gostaram de aprender um pouco mais sobre as origens de nossas tradições e símbolos de Natal?

Semana que vem teremos mais informações no nosso Especial de Natal!

Beijos de luz!

@renatanrachid

POLÍTICA

Os eleitores foram às urnas e, na nossa cidade, as eleições municipais deste ano terminaram. Os resultados foram divulgados e a maioria venceu.

Assim funciona a DEMOCRACIA. Alguns perdem o pleito e outros ganham. Faz parte do jogo democrático.

Agora, é hora de comemorar a vitória e refletir a respeito daquilo que não teria saído como esperado para alguns.

Temos um novo prefeito eleito e vários vereadores.

Estamos na torcida para que o novo prefeito faça um bom governo e, também, para que os vereadores cumpram as suas funções com sabedoria.

É preciso que todos se lembrem: acima dos interesses políticos e pessoais, estão os interesses de nossa querida Divinópolis!

Sucesso a todos os eleitos!

BEBIDA DE VERÃO

O verão está chegando e se engana quem acha que a estação mais quente do ano não combina com um ótimo vinho.

É verdade que os vinhos tintos são mais recomendados para as épocas mais frias do ano, e os brancos, espumantes e rosés são ideais para os momentos de maior calor.

Não sou nenhuma sommelier, mas, sim, uma apaixonada pela bebida. Para escrever essa nota procurei saber um pouco mais e, agora, compartilho com vocês.

Riesling, Chardonnay e Sauvignon Blanc são alguns dos rótulos mais recomendados, por possuírem um baixo teor alcoólico, trazendo bebidas um pouco mais secas, jovens e menos complexas. Os brancos  devem ser servidos entre 8 e 10 graus celsius, porque temperaturas mais baixas podem anestesiar a boca, prejudicando a degustação.

Nos casos dos espumantes, a leveza é ainda mais acentuada devido à gaseificação, seja ela estimulada pela adição de gás carbônico, seja ela natural.

Os rosés mais conhecidos são produzidos na região de Provence, na França, e também no sul do Brasil, como os rótulos elaborados a partir da uva Malbec na Serra Gaúcha.

A temperatura ideal para servir esses vinhos, que vem ganhando o coração dos brasileiros, é ligeiramente mais elevada do que a dos brancos: 10 a 12 graus celsius.

Os fãs do bom e velho vinho tinto não precisam excluí-lo da lista de consumo durante os períodos mais quentes. Existem os tintos apropriados para a época.

A indicação mais básica para acertar em cheio é dar preferência aos exemplares mais jovens e mais frutados.

O vinho é uma das bebidas mais consumidas no mundo e pode caber em todos os bolsos.

Não existem regras que limitem o seu consumo a uma determinada época do calendário, e aproveitar a estação mais quente do ano ao lado de um bom vinho de verão pode se tornar uma deliciosa experiência!

Beba com moderação.

Fontes: sites Famiglia Valduga, Vineria 9, TodoVino.

FAÇA VOCÊ MESMO

Que tal fazer lembrancinhas de Natal simples e baratas em casa para presentear seus amigos e familiares?

Ah, essa lembrancinha da dica de hoje também pode render uma graninha! Você pode vender para pessoas próximas!

Vamos ao faça você mesmo:

Copo de delícias

Pegue um copo descartável;

Cubra com cordão vermelho e branco;

Cole dois botões e coloque delícias dentro do copinho;

Por último, embale com plástico transparente e fita.

Repare como fica lindo!

Na foto a sugestão são biscoitos, mas você pode colocar o que preferir!

DIREITO

Vitória Alves foi aprovada no vestibular para o curso de direito em várias universidades.

Parabéns pelo feito!

Comentários
×