Especial: Com passado de glórias, futebol amador de Divinópolis pede socorro

José Carlos de Oliveira 

O futebol amador de Divinópolis clama por socorro e só não deixou de existir porque alguns abnegados desportistas ainda lutam para manter vivas as lembranças do passado, e tudo fazem para construir um futuro melhor. Essa modalidade já foi orgulho dos desportistas da cidade, principalmente a partir da metade do século passado, quando havia inúmeros clubes na disputa de seu campeonato, então considerado o melhor torneio de futebol da região Centro-Oeste e um dos melhores do interior do Estado de Minas Gerais. 

Hoje presidida por José Roberto Betoni, a Liga Municipal de Desportos de Divinópolis (LMDD), que organiza e promove o Campeonato Amador da cidade, ainda tenta levar adiante o sonho de realizar torneios anuais, mas já não conta com o apoio e a glória do passado, e poucos são os clubes que se dispõem a participar da competição. O torneio tem um custo alto e os times ainda existentes não dispõem de recursos para participar da competição. E o poder público nunca fez e nada faz para mudar esta história. 

Grande rivalidade 

Nos seus anos de glória, o Campeonato Amador da cidade rivalizava até mesmo com torneios profissionais, promovidos pela Federação Mineira de Futebol (FMF), e atraía para Divinópolis jogadores de cidades vizinhas, que aqui vinham para defender alguns dos clubes participantes do torneio. 

Ao longo dos anos, foi grande a rivalidade entre os times, principalmente pelos lados do Guarani e do Ferroviário, que disputavam, com Flamengo, Corinthians, Padre Eustáquio, Gecol, Recreativo, os dois clubes do bairro Afonso Pena — Vasco da Gama e Palmeiras — e tantos outros, a preferência dos torcedores da cidade e região. 

Os moradores dos bairros Porto Velho e Esplanada abraçavam cada um o seu clube, e o clássico entre o Bugre e o Ferro era assunto para dias, semanas inteiras. 

Os estádios do Palmeiras, Ferroviário, Guarani, Flamengo, Vasco da Gama e Corinthians, que continuam em pé até os dias de hoje, guardam em seus muros e alambrados as lembranças daquela época, quando reuniam multidões aos finais de semana, para acompanhar os jogos de futebol do Campeonato Amador.   

Por aqui passaram jogadores consagrados, que anos depois fizeram a alegria de clubes profissionais e levaram o nome de Divinópolis a todas as partes do Brasil. 

Primeiros clubes 

Os dois clubes mais antigos da cidade — Guarani e Palmeiras —, fundados no ano de 1930, já não disputam o Campeonato Amador, por motivos diversos. O Guarani, atual campeão mineiro do Módulo II, profissionalizou-se, e o Palmeiras hoje só trabalha com a escolinha de futebol e as categorias de base.  

O mesmo acontece com Vasco da Gama e Ferroviário, do bairro Esplanada, que ainda mantêm vivas as lembranças do passado, mas que preferem investir seus esforços nas escolinhas de futebol, para jovens e crianças. 

O futebol amador já não é o mesmo de antes e a falta de apoio do poder público faz com que os clubes se afastem cada vez mais das disputas. E quem perde com isto é a cidade, que já não consegue promover um torneio amador ao menos digno de seu passado. 

Mais velho 

O primeiro clube a ser fundado em Divinópolis foi a Associação Palmeiras Futebol Clube, do bairro Afonso Pena, que hoje é presidida por Walter José Silvério. Fundado no dia 7 de setembro de 1930, o Palmeiras completa 88 anos em 2018. Seu campo é o estádio Pelezinho, no alto do Afonso Pena. 

Hoje o clube já não tem o futebol amador. Sua diretoria investe na formação de novos jogadores, com mais de 200 atletas na escolinha de futebol e em suas categorias de base. 

Atualmente, o alviverde do Afonso Pena participa apenas de torneios regionais e estaduais, com suas categorias menores. O futebol amador, por hora, não faz parte da programação do clube.  

História 

A Associação Palmeiras Futebol Clube (APFC) tem fundamental importância na história do futebol de Divinópolis, pois foi fundada antes mesmo que existisse uma entidade na cidade que organizasse os campeonatos e os torneios. 

A história do Palmeiras começou em 1930. A escolha do local da sede foi o primeiro passo. Ficou decidido que seria no alto do Bairro Afonso Pena, onde se encontra até os dias de hoje. 

Desde 1935, o Palmeiras está filiado à Liga Municipal de Desportos de Divinópolis (LMDD) e participa dos eventos desportivos promovidos pela entidade. 

A Associação Palmeiras tem utilidade pública estadual e municipal, conseguida com a intervenção do ex-deputado estadual Jaime Martins do Espírito Santo, que sempre foi grande colaborador do clube e do esporte de Divinópolis. 

O começo 

Os fundadores da Associação Palmeiras Futebol Clube são: Francisco Martins da Cruz, Antônio Cardoso, Vicente Borges, João Pinto, José Fernandes, Osvaldo Fernandes, Antônio Machado, Álvaro Ameno.  

Seu primeiro presidente foi o senhor Sebastião Gomes, que ocupou por vários mandatos a liderança no clube.  

Craques do passado 

O Palmeiras formou grandes times ao longo de sua história e jogadores que escreveram seus nomes no futebol de Divinópolis defenderam o alviverde. Craques como Carlos Pireco, De Paula, Donga e Nelson foram formados no clube. 

Comentários
×