Escritor de Divinópolis lança campanha de financiamento coletivo

Jorge Guimarães

 

O escritor divinopolitano Eduardo Maia, autor dos livros “Amarildo, o mais atletizeiro dos cruzeiranos” e “Geraldinho, o menino que ouvia as árvores”, parte para o universo do financiamento coletivo (crowdfunding) para o lançamento da obra: “Tidico, feio, estranho e judiado”.

O livro conta a história de Tidico, um pintinho que passou por inúmeras adversidades e ensinou toda a família a amar. A história, baseada em fatos reais, aconteceu há 55 anos, na roça onde morava toda a família do pai do escritor.

– Escutei esta história muitas, mas muitas vezes, contada pelo meu pai, meus tios e avó. É uma história muito trágica, mas muito bonita também. À medida em que o tempo vai passando, as lembranças daquilo que se torna eterno, vez por outra, emergem das nossas memórias mais bem quistas e a gente se redescobre protagonista de lindas e emocionantes histórias – explica o escritor, que completa:

– Recentemente, rememorando a história, antes de escrevê-la com minhas palavras, clareou-me na ideia a grande lição que ela tem para nos dar. Apesar de ter acontecido com a minha família, trata-se de um assunto universal, o amor, e com certeza, todo mundo vai se identificar. Outra questão importante é o registro. Fico pensando quantas histórias belas se perdem no tempo por falta do registro.

 

Crowdfunding

 

Após quase cinco anos do lançamento das primeiras plataformas no país, o cenário do crowdfunding brasileiro está alcançando alguma estabilidade. Das cerca de 80 plataformas que já testaram o modelo, hoje sobraram pelo menos 24 com campanhas ativas. Apesar da diminuição do número total de iniciativas, boa parte das que ficaram de pé relata crescimento em projetos inscritos e arrecadação, apontando para a seleção natural e consolidação do setor.

O termo crowdfunding vem do inglês e significa “financiamento pela multidão”. A prática, que é uma evolução da boa e velha “vaquinha”, agora mediada pelas ferramentas digitais, começou a tomar forma em 2005 e ganhou escala a partir de 2009, com o lançamento do Kickstarter nos EUA.

 

Plataformas digitais

 

O crowdfunding vem revolucionando o ramo da produção cultural no Brasil e no mundo. É importante, porém, conhecer as plataformas digitais e as novas propostas de execução de projetos.

– Acabei por propor um financiamento coletivo que não utiliza plataforma digital. Dividi em três tipos de cotas. Apoiador standard, no valor de R$ 30, que dá direito ao livro autografado; apoiador master, no valor de R$ 50, que dá direito ao livro autografado e agradecimento em nome do apoiador dentro do livro; e cota específica para escola, no valor de R$ 1.000. A escola receberá 30 exemplares do livro, agradecimento e bate-papo com o autor. Cada um dos apoiadores recebe fisicamente um voucher referente ao apoio e, no lançamento do livro, ou posteriormente, receberá o bem destinado – complementa Eduardo.

 

Ilustrações

 

As ilustrações são da jovem artista Rafaella Corrêa, ex-aluna do escritor, que agora se envereda pelos caminhos da ilustração. Quem quiser apoiar o projeto é só entrar em contato pelo telefone e/ou WhatsApp: (37) 98815-9118.

 

Comentários
×