Escorpiões invadem casas no bairro Bom Pastor

 

Ricardo Welbert  

Uma picada capaz de matar. Essa é a principal arma do escorpião contra presas e predadores. De acordo com o Ministério da Saúde, o número de mortes de pessoas envenenadas por esse artrópode no Brasil cresceu 164% nos dez últimos anos. Foram 45 casos registrados em 2005 contra 119 mortes relatadas em 2015. Em Divinópolis, famílias que vivem no bairro Bom Pastor temem entrar para essa estatística.  

A pespontadeira Denize Mesquita Toledo conta que o problema afeta a todos os quarteirões desde a rua Cesário de Azevedo até a Francisco Gontijo, onde ela mora. 

— Minha casa fica no lado de cima da rua. Os escorpiões aparecem com mais frequência na parte de baixo, onde mora a minha avó. Na mesma rua, tem um morador que já foi picado na perna duas vezes, por escorpiões escondidos nas calças — conta. 

Na casa de uma tia dela, a conta de quantos escorpiões já foram achados é impossível de ser feita. Os moradores sofrem com o problema há muitos anos.  

 Onde habitam  

De acordo com Policarpo Nunes, especialista em animais peçonhentos, escorpiões costumam se abrigar e se reproduzir em locais com acúmulos de lixo, madeiras, materiais de construção e outros tipos de entulhos. O tipo mais comum em Divinópolis é o amarelo, que é também o mais venenoso.  

— Época de forte calor é o período ideal para a reprodução dos escorpiões. No geral, eles gostam de ficar em locais sujos, pois a sujeira atrai baratas, que são a principal presa deles. Em Divinópolis, nós temos o problema dos lotes vagos que ficam cheios de lixo. Se não eliminar a sujeira, o perigo não vai acabar — explica.   

Dentro das casas  

A briga com os escorpiões nas residências é difícil, pois eles não são afetados pelos inseticidas e outros venenos encontrados no mercado. Qualquer acúmulo de restos de comida pode atrair baratas, que atraem os escorpiões.  

— Eles podem entrar pelos ralos ou pelas portas. Por isso, é importante instalar telas nos ralos e rodapés nas portas — acrescenta.  

A gravidade das manifestações clínicas depende muito. Os acidentes são classificados como leves (os mais frequentes, com dor e vômito), moderados (além da dor, náuseas, suor excessivo, taquicardia, respiração ofegante) e graves (náuseas e vômitos frequentes, suor excessivo, hipotermia, tremores, agitação alternada com sonolência, respiração ofegante, taquicardia ou bradicardia). 

 Cuidados  
O escorpião amarelo prefere ambientes frescos e escuros, como frestas de parede, restos de construção, entulhos, ralos, esgotos, caixas de gordura, tanques, encanamentos, caixas com verduras, legumes e frutas, sapatos, roupas, camas, travesseiros e cortinas. 

Nestes locais, ele encontra o principal alimento, que são as baratas. Por isso, a necessidade de manter os imóveis limpos. 

Ainda segundo os moradores do Bom Pastor, quase não existem lotes vagos na região. As famílias que vivem nas ruas citadas afirmam também que não acumulam sujeiras em seus imóveis. Algumas pessoas acreditam que um imóvel fechado há alguns anos e que abriga restos de móveis esteja servindo de criadouro para os escorpiões.  

 Socorro 

 Quando se encontrar o animal, a orientação é evitar o contato e informar as autoridades sanitárias. E em caso de picada, a vítima deve ser levada imediatamente a uma unidade de saúde.  

Se você for picado, não pise no bicho. Você vai precisar levá-lo ao hospital e o médico precisa reconhecer a espécie para dar o antídoto correto. Colocar gelo no local, tomar um analgésico na hora e ir ao hospital são recomendações. Também é importante lembrar que você não pode cortar o local da picada, nunca chupar o veneno, não apertar o membro com torniquete, não passar álcool e não tomar leite. 

— Tem que liberar a circulação do sangue e tomar muita água, pois ajuda a diluir o veneno — acrescenta Policarpo.  

 Serviço público  

Em nota ao Agora, a Prefeitura de Divinópolis informou que quem encontrar escorpiões em imóveis precisa informar à Secretaria de Saúde por meio do telefone 3229-6874. Um agente de saúde será enviado para verificar o local e adotar as medidas necessárias.  

 

 

Comentários
×