Equipe Zema mostra preocupação com situação do Estado

Maria Tereza Oliveira

O governador recém-eleito, Romeu Zema (Novo), divulgou ontem o diagnóstico realizado pela equipe de transição sobre o Governo Pimentel (PT). De acordo com a equipe, os resultados preocuparam o novo governo.

Segundo a assessoria de comunicação Zema, no Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) deste ano estão elencados 200 programas estratégicos, sendo que 65 apresentam ações prioritárias.

As informações que levaram ao diagnóstico foram checadas pela comissão de transição do governo Zema, assessorada por profissionais da Fundação Dom Cabral (FDC), que juntamente, as consideraram preocupantes.

Prioridade

O diagnóstico aponta que dentre os 65 programas prioritários, 12% consumiram, até o momento, mais de 50% de todo orçamento previsto para 2018.

Por outro lado, a avaliação também revela que 33% dos projetos gastaram menos de 20%. A média é que foram consumidos 35% do orçamento total do ano. Os avaliadores afirmam que os números demonstram a baixa execução de tais projetos declarados como prioritários.

Execução

A pesquisa ainda destacou que, ao analisar a execução física declarada nos relatórios, foi diagnosticado que 58% dos programas executaram acima da metade do orçamento anual.

Em média, foram realizados 41% de meta física. Isto representa que, teoricamente, os projetos demonstram andamento mais acelerado do que a verba despendida.

Eficiência?

Apesar dos números apontarem para o andamento acelerado das obras, os analistas afirmam o contrário.

— Esta situação poderia ser sinal de execução muito eficiente, mas dadas as notícias de precariedade nas políticas públicas, demonstra deficiência do Estado ao efetuar suas ações — esclarece.

O coordenador da equipe de transição é o vereador Mateus Simões (Novo). Ele destacou a preocupação do novo governo com a situação atual do Estado.

— Mesmo pela visão mais otimista, Minas está executando, a essa altura do ano, menos da metade do que deveria ter sido feito, considerando o que havia sido proposto. Ainda assim, a situação financeira do governo só piorou ao longo do ano. Esse é um cenário que preocupa não apenas pela crise financeira aguda, mas pela falta de eficiência das políticas públicas — salientou.

Governo de transição

Um governo de transição é extrema importância para que o recém-eleito possa ter ciência da situação que encontrará quando assumir o governo e pensar em táticas para aperfeiçoar o que dá certo e resoluções para o que não dá.

Para isto, o governo em exercício, que no caso é o de Fernando Pimentel (PT), com o encerramento do exercício financeiro, exige uma série de providências a serem adotadas e uma maior atenção de todos aqueles que lidam com a Administração Pública.

Já para quem entra no governo, o trabalho inicia antes da posse, pois o trabalho de governar começa antes do seu mandato.

Para isso, é formada uma equipe para assessorá-lo, na analise do relatório de situação administrativa, que deve ser entregue, ao novo pleito dez dias, após a proclamação do resultado da eleição. 

Nomeações

A equipe Zema afirmou que começará a divulgar os nomes do secretariado nos próximos dias e alguns deles podem ser anunciados ainda hoje.

O governador teve muito apoio do Centro-Oeste, inclusive em Divinópolis, e, espera-se que alguém da região possa ser convocado para assumir alguma pasta, mesmo que de segundo escalão.

 

Comentários
×