Equipe da UFSJ em Divinópolis vai desenvolver projeto com apoio regional

Da Redação

Spin-off acadêmica do Laboratório de Processos Biotecnológicos e Purificação de Macromoléculas, do Campus Centro-Oeste Dona Lindu (CCO), em Divinópolis, a Arabutã foi uma das 12 selecionadas, entre 50 inscritas, pelo Programa de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Prefeitura de Belo Horizonte com a Fundação Biominas, que tem por objetivo a aceleração de startups, o desenvolvimento de modelo de negócios e a inserção de empresas no mercado que buscam resolver problemas na área da saúde e no enfrentamento à pandemia da covid-19.

A Arabutã tem como tecnologia uma tinta com propriedades biocidas, que poderá ser utilizada no revestimento de superfícies hospitalares, como tetos, paredes, maçanetas, teclados e controle remoto. O mecanismo de morte é físico, sem permitir que ocorra resistência por parte dos microrganismos.

A equipe é formada pelos estudantes Vinícius Tarabal e Carlos Costa, do Programa Multicêntrico de Pós-Graduação em Bioquímica e Biologia Molecular da UFSJ (PMBqBM), pelos professores Paulo Granjeiro (UFSJ) e Marcelo Speziali (Ufop,) e Murilo Amaral, da Fountaine Venture.

— Tenho certeza de que será um grande aprendizado para nós, da Arabutã. Estaremos em contato com diferentes soluções inovadoras, especialistas na área de empreendedorismo e modelagem de negócios. Nossa participação mostra a força das pesquisas da UFSJ e demonstra a importância da Ciência em momentos tão difíceis. Estou muito feliz com a nossa aprovação — declara Vinícius.

Para o professor Paulo Granjeiro, coordenador do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação Tecnológica da UFSJ (Netec), a oportunidade que se descortina com o programa da Prefeitura de Belo Horizonte será de grande importância para “o desenvolvimento do negócio e a proximidade a potenciais investidores, para validar a tecnologia em ambientes relevantes, como hospitais e postos de saúde.

Comentários
×