Entusiasmo dos empresários esfria

 

Pablo Santos

Os empresários mineiros perdem o entusiasmo pelo terceiro mês seguido. Um levantamento sobre a situação atual da economia piorou de forma mais acentuada do que as relacionadas à economia mineira e às próprias empresas, de acordo com o índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI).

A pesquisa, realizada pela área de Estudos Econômicos da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), mostra recuo de 0,6 ponto entre abril e maio.

— Esse resultado marca a terceira queda consecutiva do indicador, e aponta um arrefecimento da confiança dos industriais mineiros, refletindo um quadro de fraca atividade econômica nos primeiros meses do ano — afirmou o estudo. Apesar da queda, o ICEI mostra que os empresários continuam confiantes, com resultado superior a 50 pontos, limite entre a confiança e a falta de confiança.

Maio teve o melhor índice para o mês em sete anos, ficando 2,4 pontos acima do verificado em maio de 2018 (54,2 pontos) e 4,5 pontos superior à sua média histórica (52,1 pontos). Já o ICEI Nacional caiu 1,9 ponto em maio (56, 5), frente a abril (58,4), marcando a quarta queda seguida no índice. No entanto, o indicador também foi o mais elevado para o mês em sete anos.

Ainda de acordo com os dados da pesquisa, o resultado da ponderação dos índices de condições atuais e de expectativas, o ICEI, varia de 0 a 100 pontos. Os valores acima de 50 pontos indicam percepção de situação atual melhor e expectativa positiva para os próximos seus meses.

— O indicador de condições atuais decresceu 2,4 pontos em maio (46,3 pontos), na comparação com abril (48,7 pontos), sendo que esse é o segundo mês consecutivo no qual os empresários se mostram insatisfeitos com as condições correntes de negócio, após cinco meses contínuos de valores acima dos 50 pontos — destacou o levantamento.

 

Comentários
×