Entrevista: vereadora Ana Paula Freitas

Maria Cândida

  • Como está se sentindo como uma das vereadoras mais bem votadas numericamente nas eleições de 2020 em Divinópolis?

 

R: É uma mistura de sentimentos. Sei da minha responsabilidade, sei da cobrança, mas sei também das minhas atribuições como vereadora. Meu compromisso sempre foi com o meu próximo.

 Política existe para o bem comum e é por isso que vou trabalhar.

 

  • Quem a motivou a se candidatar neste ano?

 

 R: A política nasceu comigo.

O que fez nascer a Ana Paula do Quintino foram dois pontos: 

aos sete anos, ouvir a frase de que as fatias do bolo nunca eram repartidas do mesmo tamanho, e que o povo recebia as migalhas quando sobrava. 

E a outra foi o choque de realidade quando vim morar em Divinópolis... O Quintino não tinha nada, vivi sem dignidade por muitos anos, vi que era preciso mudar... Daí nasceu a líder comunitária, que até hoje luta por direitos.

 

  • É a primeira vez que você se candidata a cargo eletivo na política?

 

R: Não. Essa foi a quarta vez.

Não desisti do que acredito.

 

  • Sua família é de políticos?

 

R: Não tenho políticos na família.

 

  • Qual sua primeira reivindicação ou trabalho como vereadora de Divinópolis?

 

R: Trazer o povo para a Câmara. Não é só votar.

Eleita, me torno funcionária, o povo tem tanta força, mas o descrédito na classe política afastou o povo... É preciso fazer o resgate...

Vamos trabalhar para que isso aconteça.

 

  • Onde estudou?

 

R: Cursando gestão pública na Unicesumar (matrícula trancada por causa das eleições), retornando em breve.

 

  • Religião: 

 

Católica 

 

  • Três políticos de sua admiração:
  • Ex-senador Afonso Arinos de Melo Franco (autor da primeira lei antirracismo 1952);
  • Dr. Simão Salomé de Oliveira;
  • Dr. Francisco Gonçalves Filho.

 



Minha gratidão pela oportunidade.

 

 Ronara Tavares Sousa datilagrafou.

Comentários
×