Entrada de produtos estrangeiros em Divinópolis cresce

Pablo Santos

Divinópolis fez o caminho inverso de Minas Gerais e do Brasil em relação às importações em 2019. As empresas locais mantiveram as compras, e os negócios cresceram no ano passado em relação a 2018. Já os números nacionais e estaduais apontaram queda, de acordo com os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDCI).

Conforme os números do governo federal, as importações concretizadas por Divinópolis cresceram 6,37% em 2019, no confronto com 2018. 

Ainda de acordo com os dados, as empresas locais compraram, no ano passado, US$ 30 milhões de produtos estrangeiros. No exercício anterior, foram US$ 28,2 milhões em aquisições de itens internacionais.

Dos US$ 30 milhões, 33% se referem a compras de arroz. Somente com o grão, foram adquiridos US$ 9,7 milhões.

O valor de negócios no ano passado com o item foi 8% maior na comparação com o exercício anterior.

Outro item forte da pauta de importação são os tecidos. Com 5,5%, os tecidos de malha ocupam a segunda posição entre mais comercializados, acompanhado dos tecidos de fios (5,4%) e tecidos de filamentos (5,1%).

Dos US$ 30 milhões de itens importados, 53% dos produtos vieram da China. O país asiático é o maior parceiro comercial de Divinópolis. Já 32% dos itens vieram do Paraguai. Hong Kong e Índia representam 2,1% e 2%, respectivamente.

Queda

Em Minas Gerais, as importações registraram queda em relação a 2018. As compras no estado apontaram diminuição de 1,2%, passando dos US$ 9,072 bilhões de 2018 para o valor atual, que foi de US$ 8,955 bilhões em 2019.

No Brasil, as importações caíram 3,3% na base de comparação, a US$ 177,344 bilhões. Na ponta das importações em 2019, só houve aumento – e de pequena magnitude – nas compras de bens intermediários, com alta de 0,4% sobre 2018. Em contrapartida, caíram as importações de bens de capital (-12,8%), bens de consumo (-4,5%) e combustíveis e lubrificantes (-7,3%).

Comentários
×