Enfim, começou

Preto no Branco 

 

O Carnaval acabou, pelo menos em boa parte do país, já que em cidades do Nordeste, como Salvador, a festa emenda até lá para sábado. Mas como é minoria, muita gente agora, de fato, começa a pensar no novo ano e problemas cotidianos, como as contas vencidas a vencer, a busca por um emprego, o início de um tratamento de saúde e, por último, que 2020 é ano de eleições. Típico do brasileiro: deixar tudo para depois e não estar nem aí para a política. No entanto, seguir em frente é preciso, nem que seja tudo como antes, mesmo em um ano fundamental para a sua vida e cidade onde escolheu viver.

Morta

Por mais que as pessoas já tenham voltado ao normal depois das comemorações da festa de Momo, a semana é um tanto quanto morta. Hoje, por exemplo, tem a reunião da Câmara. Mas, como não houve expediente ontem, não tem pauta e, se entrar algum projeto para votação, deve ser mesmo de última hora. No mais, os discursos manjados, as tradicionais indiretas e o pensamento voltado para outubro. Só lembrando aos vereadores que propostas que atendem parte dos anseios da população estão engavetadas. 2020 precisa realmente começar.

Justo, justíssimo

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou projeto de lei que prevê a obrigação de o preso ressarcir o Estado pelos gastos com sua manutenção. O ressarcimento poderá ser feito com recursos próprios ou por meio de trabalho oferecido pelo presídio.O texto foi levado a Plenário em julho do ano passado, na forma de um substitutivo da senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), porém os senadores decidiram enviá-lo para reexame da CCJ. O novo relator da proposta na comissão, Alessandro Vieira (CDN-SE), apresentou novo substitutivo para deixar evidente que somente haverá obrigação de pagamento das despesas para os presos que tiveram condições financeiras. Justo também. E o problema é que a maioria não tem. Não é segredo para ninguém que, no Brasil, cadeia é para pobre.

De volta

A população sonha em ter de volta (investido em benefícios)seu suado dinheiro roubado por milionários que se enriqueceram exatamente desta maneira. E não é que agora surgiu uma ponta de esperança?Por ordem do ministro da Justiça, Sergio Moro, imóveis que serão leiloados neste ano fazem parte da primeira leva do patrimônio de criminosos investigados por tráfico. Em um segundo momento, pretende-se leiloar os demais bens de alto valor, como 130 aeronaves e 168 embarcações. Além disso, carros importados, apartamentos de luxo, jatos, fazendas e joias.  A intenção é muito boa e é este o caminho, mas daí a virar realidade são outros quinhentos.

Se aproxima

Os casos suspeitos de coronavírus estão se espalhando e cada vez parecem mais próximos. Depois de mais dois casos suspeitos em Belo Horizonte, agora é a vez de o interior se preocupar, e faz divisa com a Centro-Oeste, o Sul de Minas. A Prefeitura de Pouso Alegre disse ontem que três pacientes com suspeita foram encaminhados para o Hospital Regional Samuel Libânio (HSL). As pessoas são de Varginha e faziam parte de um grupo de dezque foram recentemente à região da Lombardia, na Itália. É bom muita gente ficar esperta, porque a coisa quando é boa nem beira Divinópolis, mas, quando não é, parece um para-raios.

Prazo de validade

Com simpatia e oratórias invejáveis, o bispo dom José Carlos Campos recebeu a imprensa ontem para falar do tema e lema da Campanha da Fraternidade. Puxou a orelha dos fiéis ao tratar do individualismo. Disse não ser à toa que o lema de 2020 é “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”! E tem muito ver, sim, e ele tem toda razão. A dor do outro sempre foi invisível a nossos olhos e ultimamente tem só piorado.  Se bemque, em ano eleitoral, tudo é possível. Até amolecer corações de pedra. Uma pena que só dura na campanha.

Comentários
×