Enfermeiros voltam a atender normalmente nas unidades

 

 

Rafael Camargos

Os enfermeiros que antes estavam impossibilitados de realizar algumas funções da profissão, como prescrever remédios, realizar acompanhamentos, fazer a coleta de sangue dentre outros procedimentos na saúde básica, estão aptos a realizar as essas funções novamente na saúde básica de Divinópolis. Desde a última sexta-feira, 27, os profissionais voltaram a atender normalmente na Policlínica da avenida Getúlio Vargas, no Centro, e em outras unidades de saúde.  Mesmo com a liminar derrubada um dia depois da restrição, os profissionais estavam parados, porque só poderiam voltar a atuar se houvesse uma publicação no Diário Oficial dos Municípios. Publicação que chegou ao fim de semana.

 Novela 

O  presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região acatou recurso contra a liminar da 20ª Vara Cível do Distrito Federal, que impedia a requisição de exames por enfermeiros, prejudicando o atendimento a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A liminar está suspensa até o julgamento do mérito do processo.

De acordo com o médico da Estratégia de Saúde da Família (ESF), Flávio Antônio Marcelino Alves, a decisão trazia grandes prejuízos em relação aos atendimentos da equipe nas ESF’s, uma vez que todos os profissionais envolvidos trabalham em conjunto.

— O enfermeiro tem várias ações previstas em protocolos de atendimento da criança, adolescente, idoso, da gestante, saúde da mulher principalmente, que é quase a enfermeira que faz as ações, como pedidos de mamografias, e em pleno outubro rosa nos fomos pegos com uma liminar onde eles proíbem essas ações de enfermagem que estão previstas nesses protocolos — comentou o médico.

Ainda segundo o especialista, no momento, as ações estão prejudicadas porque o enfermeiro não pode solicitar os exames.

— O enfermeiro ficou limitado como um educador de saúde, inibindo ou tirando dele essas várias atribuições, que são extremamente importantes dentro do contexto da saúde da família — argumentou Flávio Antônio.  

Restrições

 Na cidade, os enfermeiros estavam restritos a educação em saúde e no acolhimento. Eles não podem pedir ou avaliar exames, pedir preventivos, mamografias, exames de doenças crônicas e avaliar os resultados.

Para o enfermeiro Edvaldo Luiz a profissão está perdendo espaço com o surgimento de novos segmentos dentro da assistência a saúde, o que os restringe e isola os conhecimentos técnicos e teóricos aprendidos na faculdade.

— Vejo a liminar como um primeiro passo para a reestruturação de um grupo profissional que encontra-se desmotivado pelas mazelas laborais e precisa urgentemente de um novo gás para buscar novas conquistas que sempre almejamos. Um exemplo é projeto de regulamentação das 30 horas — finalizou.

 

 

Comentários
×