Energia elétrica pode sofrer novo aumento

 

Jorge Guimarães

A continuidade de um quadro fraco de chuvas e reservatórios baixos que anda tirando o sono dos governantes, a partir do próximo mês, caso as águas não caiam, vai preocupar é o consumidor. Foi aprovada na última terça-feira, em reunião pública da diretoria da Agencia Nacional de Energia Eletrica (Aneel), audiência pública para discutir a revisão da metodologia das bandeiras tarifárias e dos valores de suas faixas de acionamento. A proposta é de bandeira amarela no valor de R$ 1; bandeira vermelha no patamar 1, R$ 3; e vermelha no patamar 2, R$ 5, a cada 100 kWh consumidos e frações. Estes valores já vigoram a partir da bandeira tarifária de novembro.

A Aneel constatou a necessidade de revisar os critérios e parâmetros dos valores tarifários e da métrica de acionamento da bandeira, para melhor capturar os efeitos vinculados ao custo de geração de energia.

Bandeira vermelha

E a permanência de um quadro de fracas chuvas até esta semana, como as observadas até agora, deve levar o país a enfrentar mais uma vez a bandeira vermelha patamar dois, no próximo mês, que adiciona R$ 3,50 à conta de luz a cada 100 quilowatt-hora (KWh) consumidos.

— A continuar com o mesmo desenho que temos até agora, aponta para a manutenção da bandeira vermelha patamar dois — disse O diretor geral da Aneel, Romeu Rufino.

Consumidor

Resta ao consumidor, seguir as velhas dicas de economizar energia, ainda mais no verão, quando muitos usam e abusam dos ventiladores e ar condicionados. Economizar no ferro de passar e na hora do banho também são ótimas pedidas..

— Banho lá em casa é rápido, não ultrapassa os cinco minutos. Luz acesa pela casa também é proibido, temos que ter consciência do desperdício, depois afeta a nós mesmos — Jacinto Ferreira, aposentado.

 

Comentários
×