Empresas que tinham de 1 a 5 e 6 a 10 funcionários foram as que mais demitiram

Da Redação 

O número alto de demissões fez entidades do Grupo Gestor protocolarem ontem à tarde ofício na Prefeitura solicitando a abertura total do comércio de rua, acabando assim com a alternância de dias. Solicitaram também, avaliação do processo para que estabelecimentos de alimentação fora do lar, ou seja, bares e restaurantes, possam receber e atender clientes em seu interior, mediante condições de higiene e segurança alimentar e sanitária.

Quesito este que veio reforçar o que já havia ocorrido em reunião na manhã desta quarta-feira, 3, entre estes representantes e o secretário municipal de Saúde, Amarildo Sousa. No encontro, foi debatido o Protocolo de Boas Práticas, elaborado por profissionais da área, por meio da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/Oeste), em acordo com a entidade nacional, para que o segmento volte à normalidade o mais rápido possível.

Com limitações 

Os representantes das entidades ouviram do secretário a possibilidade de os bares e restaurantes reabrirem com limitações. Assim, a expectativa é que antes do Dia dos Namorados isso possa ocorrer. Porém vai  depender dos números do coronavírus na semana que vem.

— Sabemos que estamos atravessando uma pandemia e quando se fala em saúde se fala de vida. E queremos retornar com toda segurança e responsabilidade.  A Abrasel tem normas e técnicas para ajudar a todos do segmento — disse o presidente da Abrasel União Oeste, Danilo Pereira.

O presidente ainda convocou os donos de estabelecimentos para juntos caminharem nesta retomada. 

— Como está o seu bar, seu restaurante? Vamos nos adequar à realidade. Vamos começar a treinar nossas equipes, adaptar nossos salões, vamos fazer testes antes de os nossos clientes chegarem. Somos nós os responsáveis em fazer nossos fregueses se sentirem seguros nesta retomada. Depende de nós, vamos fazer o nosso setor dar mais um show novamente. Contamos com todos e vocês podem contar sempre com a gente — convidou Danilo Pereira. 

Números

A pandemia mundial do novo coronavírus está afetando o segmento de alimentação fora do lar, sobretudo, os pequenos negócios. Neste sentido, a Abrasel realizou em Divinópolis uma pesquisa para conhecer mais a fundo alguns aspectos, relacionados à situação dos trabalhadores do setor de alimentação fora do lar.

E dentre as perguntas respondidas por empresários do setor de alimentação, a entidade obteve um parâmetro atualizado e o que chamou a atenção foi o número dos desligamentos.

Assim, a entidade quis saber quantos funcionários os estabelecimentos tinham antes de ser proibido o atendimento interno ao cliente. Neste contexto, 20% tinham de 1 a 5 funcionários, de 6 a 10 eram 34,3%, de 10 a 15 era 11,4% e acima de 15 funcionários o número percentual era de 34,3%.

Outra pergunta da pesquisa se refere a quantos funcionários foram demitidos do início da quarentena até hoje.  A maior taxa de demissões foi entre os estabelecimentos que tinham entre 1 e 5 funcionários, o que totalizou baixa de 60,7%. Depois, os que tinham entre 6 e 10 funcionários, com perda de 21,2%, e a menor taxa, 9,01%, foi nos estabelecimentos de 10 a 15 funcionários.    

Faturamento

Há cerca de 60 dias parados, os bares e restaurantes tiveram que se reinventar e o delivery foi a opção mais viável para a época.

— Vamos dizer que dos 100% de nossos associados, 50% partiram para o sistema de delivery, mas mesmo assim tiveram queda de 85% em suas vendas. E quem não o fez não faturou nada. Essa é a realidade atual do segmento na cidade — define Danilo Pereira.   

Procolo

O documento apresentado à Prefeitura é elaborado por consultores e técnicos do setor de alimentação fora do lar, além de profissionais de empresas de pequeno, médio e grande porte especializados nos mais diversos serviços de alimentação, e terá regras muito rígidas para promover o retorno gradual de suas atividades. 

Além de Danilo Pereira, o diretor executivo da Abrasel, Humberto Freitas Filho, atua junto aos empresários e Município em busca de uma solução.

Comentários
×