Empresários otimistas para os próximos meses

 

 Pablo Santos 

 O índice de confiança do empresário da indústria mineira alcançou resultado positivo e com projeção de crescimento. Após três meses consecutivos situando-se abaixo da linha dos 50 pontos - valor que separa o sentimento de confiança e de falta de confiança, o indicador de setembro alcançou 55,3 pontos, o maior índice desde setembro de 2012 (57,0 pontos), segundo os dados da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). 

De acordo com a pesquisa, os empresários das empresas de grande e médio portes mostraram-se mais confiantes, com indicadores de 58,5 e 54,8 pontos, respectivamente. 

— O índice de percepção dos empresários em relação às condições atuais de negócios superou a linha dos 50,0 pontos pela primeira vez desde abril de 2011 (50,1 pontos). O resultado foi influenciado pela avaliação dos empresários das empresas de grande porte (55,9 pontos) e de médio porte (50,5 pontos) — afirmou o estudo divulgado mensalmente pela Fiemg. 

Segundo a pesquisa, o índice de expectativas para os próximos seis meses saiu de 51,1 pontos para 56,8 pontos em setembro – o melhor resultado dos últimos 12 meses. Na análise segmentada, as empresas de todos os portes pesquisados revelaram expectativas otimistas. 

Já o indicador nacional atingiu 55,7 pontos em setembro, uma elevação de 3,1 pontos em relação à última leitura (52,6 pontos) e o maior índice desde março de 2013 (57,1 pontos). 

 Centro 

Os números confirmam o otimismo. Em agosto, o faturamento real da indústria do Centro-Oeste aumentou, em virtude do crescimento das vendas para os mercados interno e externo. As variáveis ligadas à produção - horas trabalhadas na produção e utilização da capacidade instalada - recuaram. Mesmo com a leve retração no emprego, houve acréscimo na massa salarial, em razão de pagamentos extras ocorridos no mês. 

— Vale destacar que, de modo geral, os dados acumulados no ano registraram desempenho positivo — afirmou o levantamento da Fiemg. 

O faturamento no acumulado do ano chegou a crescer a 10,6%, quando se compara com o mesmo período de 2016. Em julho na comparação com o mesmo mês do ano passado, o índice de crescimento é maior: 13%. 

 

Comentários
×