Emprego registra segunda queda

 

Pablo Santos

O emprego com carteira assinada em Divinópolis apontou saldo negativo pelo segundo mês seguido. Apesar de a diferença ter ficado no vermelho, no acumulado do ano, os postos de trabalho na cidade estão com números positivos, mas bem modestos, quando comparados com o mesmo período de 2018. Os setores de serviços e agropecuária foram os segmentos com maior volume de geração de vagas em maio.

De acordo com os dados do Ministério da Economia, foram 2.127 admissões contra 2.183 demissões, ou seja, foram cortadas na cidade 59 vagas. No mês passado, foram encerradas na cidade 103 oportunidades.

Já no acumulado do ano, foram abertas na cidade 202 oportunidades de trabalho. Quando se compara com o ano passado, o volume é bem menor.

De janeiro a maio de 2018, a cidade abriu 948 postos de trabalho, apontou o Ministério da Economia.

Em 2017, os números são semelhantes aos de 2019. Naquele período, a cidade criou 262 oportunidades.

Setores

O setor com o maior corte de vagas foi a indústria transformação. De acordo com o Ministério da Economia, foram encerradas 151 na cidade. Mesmo com números negativos, no acumulado o setor mantém saldo no azul, com 42 postos de trabalho criados. O comércio segue sem recuperação em 2019. O setor fechou mais 39 vagas em Divinópolis e, no ano, já são 365 cortes de emprego na cidade.

Outros segmentos apresentam saldo positivo. O setor de serviços, por exemplo, criou 83 vagas formais na cidade e, no ano, já foram 440 oportunidades abertas na cidade, de acordo com o Ministério da Economia.  

Brasil

O mercado de trabalho brasileiro criou 32.140 empregos com carteira assinada em maio. Foi o pior resultado para o mês desde 2016, quando foram fechadas 72.615 vagas.

O saldo de maio decorre de 1,347 milhão de admissões e 1,315 milhão de demissões. Em maio de 2018, a abertura líquida de vagas havia chegado a 33.659, na série sem ajustes.

 

Comentários
×