Emprego na confecção de Divinópolis tem pior ano da história

 

 Pablo Santos 

Apesar de Divinópolis ter saldo positivo no emprego e superar outros municípios mineiros com porte semelhantes, um setor registrou o pior resultado para um ano na história. A confecção finalizou 606 vagas formais em 2017, de acordo com os dados do Núcleo de Pesquisas do Vestuário (Nupev) do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Em dez anos, o segmento eliminou 2,1 mil oportunidades formais e a terceirização é apontada como motivo para a sequência negativa.

No emprego, o setor confecção de Divinópolis coleciona números decrescentes. As 606 oportunidades fechadas no ano passado superaram o pior resultado de 2015, quando 585 vagas foram eliminadas na cidade. Nos últimos 10 anos, somente nos anos de 2007 e 2010 foram criadas vagas de trabalho no setor e o restante fechou com números negativos.

De janeiro de 2007 a dezembro de 2017, foram eliminadas exatamente 2.133 vagas com carteira assinada em Divinópolis.

De acordo com o coordenador da pesquisa do Nupev, Antônio Guimarães Campos, a terceirização é a responsável declínio do emprego formal.

– Em 2017, houve a perda de 606 empregos formais na indústria têxtil de vestuário em Divinópolis. Ressalta-se que a terceirização das atividades se intensificou com a consequente perda de empregos com carteira assinada desde que foi aprovada a Reforma Trabalhista promovida no país em 2017. Segundo o IBGE, o trabalho sem carteira assinada e por conta própria superou o emprego formal em 2017. Dessa forma, evidencia-se a tendência da perda empregos formais no polo confeccionista de Divinópolis nos próximos anos – analisou.

 Polos 

A situação da confecção da confecção também é sentida em todos os principais polos. Foram analisados pelo Nupev: Divinópolis, Formiga, Muriaé, Juiz de Fora e Belo Horizonte. Com exceção do município de Muriaé, observa-se que os outros polos finalizaram o ano de 2017 com saldos negativos. O polo confeccionista de Muriaé fechou 2017 com a criação de 92 empregos, obtendo melhor resultado na comparação com os outros polos. Formiga encerrou 15, acompanhada de Juiz de Fora (98) e Belo Horizonte (130).

 

Comentários
×