Emprego cresce e massa salarial recua

Pablo Santos

A pesquisa indicadores industriais apontou acréscimo no emprego e a massa salarial recuou, de acordo com os dados da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). Já a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) aumentou.

Conforme os dados, o emprego da indústria geral cresceu 0,3% em julho, na comparação com o mês anterior, em decorrência dos avanços nas indústrias de transformação (0,3%) e extrativa (0,6%). Em relação a julho de 2018, o indicador geral mostrou alta de 1,8%, refletindo as elevações nas indústrias de transformação (1,9%) e extrativa (1,4%). No acumulado do ano até julho, o emprego da indústria geral expandiu 0,4%. evido aos aumentos nas indústrias de Transformação (0,3%) e Extrativa (1,2%).

Já a massa salarial da indústria geral recuou 0,4% em julho, frente a junho, em razão da queda na indústria de transformação (- 0,5%). O indicador geral avançou 1,8% ante julho de 2018, em decorrência dos aumentos nas indústrias de transformação (1,1%) e extrativa (10,7%).

— De janeiro a julho, o índice geral registrou queda de 1,2%, justificada pelos decréscimos nos dois segmentos industriais: transformação (-1,2%) e extrativa (-0,8%). Na análise dos últimos 12 meses, o índice geral caiu 1,1%, influenciado pelo decréscimo de 1,4% na indústria de transformação — apontou a pesquisa da Fiemg.

Rendimento

Já o rendimento médio da indústria geral caiu 0,5% em julho, frente a junho, reflexo da queda de 0,7% na indústria de transformação. Na comparação com julho de 2018, o indicador geral não mostrou alterações. No acumulado do ano até julho, o índice da indústria geral recuou 1,6%, resultado de igual decréscimo na indústria de transformação e da queda de 2,1% na indústria extrativa. No acumulado dos últimos 12 meses, o indicador geral diminuiu 1,4%, em decorrência da retração de 1,6% na indústria de transformação.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) avançou. De acordo com a Fiemg, a capacidade marcou 79,8% em julho, avanço de 0,4 ponto percentual (p.p.) na comparação com o mês precedente (79,4%*). O crescimento foi explicado pelos aumentos nas indústrias de transformação (0,5 p.p.) e extrativa (4,7 p.p.). Vale ressaltar, contudo, que o indicador segue abaixo de sua média histórica, de 82,9%.

 

Comentários
×