Empossado presidente regional da Fiemg

Pollyanna Martins

O presidente da regional Centro-Oeste da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Paulo César Costa, foi empossado na noite de quarta-feira, 25. Durante a tarde, Paulo concedeu entrevista coletiva, junto com o presidente da Fiemg, Flavio Roscoe, e o diretor da regional Centro-Oeste, Marcelo Marcos Ribeiro. Paulo disse que está cheio de desafios pela frente. Dentre eles a burocratização, os altos impostos, e a necessidade de se criar um ambiente melhor para as empresas em Divinópolis e região.

O presidente regional criticou a situação da MG-050, do Hospital Público Regional Divino Espírito Santo, e do aeroporto de Divinópolis. Paulo contou que se reuniu na semana passada com os deputados federais Jaime Martins (PSD) e Domingos Sávio (PSDB) e o deputado estadual Fabiano Tolentino (PPS). A pauta foram as obras paradas do hospital público. O presidente da Regional Centro-Oeste revelou que a discussão foi em torno de como finalizar o hospital e como mantê-lo após concluído.

— Mantê-lo depois de pronto é o mais caro e agora nós abraçamos essa causa do hospital — afirma.

Paulo reforçou ainda que as obras também paradas da MG-050 impedem o desenvolvimento pleno de Divinópolis. O presidente regional criticou ainda o fechamento do aeroporto Brigadeiro Cabral e destacou a importância do seu funcionamento. Paulo questionou ainda o que estaria acontecendo, para que Divinópolis não conseguisse mantê-lo aberto.

— Nós precisamos criar uma infraestrutura que atenda às nossas empresas. É impossível nós termos uma rodovia dessas, sem duplicação, e pagando pedágio para isso. Precisa-se colocar um ponto-final nessa história. O aeroporto é outro desafio e nós estamos trabalhando com o grupo gestor — enfatiza.

Segundo o presidente da regional Centro-Oeste, será iniciado também um trabalho junto à Prefeitura de Divinópolis, em prol da economia da cidade. De acordo com Paulo, existe boa vontade de ambos os lados para manter o diálogo.

— Nós precisamos estar juntos, encontrar soluções, pensar junto com o poder público — reforça.

Amarrações

O presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, emendou as palavras de Paulo e destacou que os maiores desafios que as indústrias enfrentam hoje em Minas Gerais é a burocracia e os altos impostos. Segundo Flávio, a alta tributação tem influenciado diretamente em cidades de médio e pequeno porte.

— Se você paga mais tributo em Minas Gerais, você vai ser menos competitivo em outros estados, se a infraestrutura for boa, ela reduz o custo de transporte das mercadorias e isso também torna as indústrias mais competitivas — destaca.

Marcelo Marcos Ribeiro assumirá a presidência da Regional Centro-Oeste em maio de 2020. O diretor da Fiemg reforçou que o primeiro desafio da nova gestão é ouvir os anseios de todos os setores da regional. Conforme enfatizou Marcelo, o foco da nova administração será fazer uma gestão compartilhada. O diretor afirmou ainda que uma das melhores ações feitas foi levar o Grupo Gestor, criado ano passado, para dentro da Fiemg.

— A Fiemg também está em um momento difícil, e unindo cada setor a gente acredita que irá alavancar o Centro-Oeste. O grupo pensa em Divinópolis e, a partir do momento que você fomenta Divinópolis, que é a locomotiva do Centro-Oeste, você traz benefícios para outras cidades — ressalta.

Comentários
×