Emoção marca cerimônia em memória das vítimas de Brumadinho

 

Da Redação

A emoção do luto, ainda presente, pela morte das 272 vítimas do rompimento da barragem de rejeitos da Mina Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho ocorrido em 25 de janeiro de 2019, marcou a solenidade realizada nesta quinta-feira, 23, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Promovida pela Casa, a cerimônia teve a presença de familiares dos 261 mortos confirmados oficialmente, sendo dois nascituros, e das 11 pessoas que ainda não foram encontradas na lama proveniente dessa tragédia. Também participaram parlamentares, autoridades dos Poderes Executivo e Judiciário, além de representantes das Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Defensoria e Ministério Público.

Foram lidos os nomes da cada uma das vítimas, ao que os participantes, cada um com uma rosa na mão, respondiam “presente”. Essa foi a forma encontrada para demonstrar que a memória dos que morreram debaixo dos escombros da barragem não se perderá e que os vivos continuarão a lutar por justiça.

Espaço com nomes

Logo após os pronunciamentos, foi inaugurada em frente ao Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira uma placa de aço que tem gravados os nomes de todos os atingidos pelo desastre social e ambiental. A obra traz o contexto do acontecimento e um trecho do poema de Carlos Drummond de Andrade, Lira Itabirana: “Quantas toneladas exportamos de ferro? Quantas lágrimas disfarçamos sem berro?”. Também foi executado o toque de silêncio por um integrante da PMMG.

Comentários
×