Em menos de quatro meses, Samu já atendeu mais ocorrências por covid-19 do que em 2020

Secretário do serviço destacou preocupação com o crescimento de casos nas últimas semanas

Matheus Augusto

Especialistas em saúde já previam um aumento de casos por covid-19 em janeiro como resultado de aglomerações de fim de ano. O crescimento, porém, não se restringiu a janeiro e se estendeu pelos meses seguintes. Os dados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) retratam o agravamento da crise sanitária. Em 2020, foram 4.708 atendimentos relacionados ao coronavírus. Neste ano, já são 4.915 ocorrências da mesma natureza; apenas em março, 2.619. Até então, o mês com mais casos era dezembro, com 850. Atualmente, em abril, 529.

Crescente

Segundo o secretário executivo do Samu, José Márcio Zanardi, o aumento no número de ocorrências relacionadas a problemas respiratórios é visível.

— Muita preocupação com esse aumento no número de casos de covid, não só em Divinópolis, mas em toda região, acompanhando a curva ascendente no Brasil inteiro. Nós temos um número de atendimento muito elevado em comparação ao ano passado — afirmou.

Casos suspeitos de coronavírus começaram a ser registrados no sistema do Samu a partir de 18 de março. Um ano depois, mesmo com as formas de combate à doença amplamente divulgadas, o cenário piorou. 

— Neste ano, só nos três primeiros meses, houve um aumento muito significativo. Nós já atendemos quase que em torno de 80% de todos os chamados do ano passado. E o mês de março teve um recorde, do número de atendimento chamadas por sintomas respiratórios — explicou.

Os casos são vinculados à covid, pois é feito um atendimento “presumido”, para garantir a segurança dos profissionais. Ou seja, quando sintomas atribuídos à infecção são relatados, a equipe de resgate obrigatoriamente usa os trajes de segurança para evitar a contaminação.

— Quando tem algum sintoma respiratório, a equipe já tem que sair da sede com o EPIs [Equipamentos de Proteção Individual] se preparando para enfrentar a covid, visto que estamos numa pandemia, então registramos o caso como vinculado à covid.

Exaustão

Com o aumento dos casos, o desgaste e cansaço interno é perceptível, aponta Zanardi. Além disso, mesmo com as precauções adotadas, funcionários foram contaminados.

— Nossas equipes estão muito desgastadas. Temos cerca de 14 pessoas afastadas, fazendo teste para covid-19. Temos funcionários em estado grave no CTI — relatou.

Apelo

Diante da preocupação com o aumento de casos, o secretário executivo do Samu reforça a necessidade do respeito às normas sanitárias.

— Precisamos combater o mais rápido possível a disseminação desse vírus, seguindo as medidas sanitárias recomendadas, com o uso de máscara, álcool em gel, higienização das mãos e o afastamento social. Na esperança de que a vacina possa ser acelerada em nosso país e em nossa região para que possamos de fato voltar a viver a normalidade — finaliza.

 

Comentários
×