Em desabafo, Galileu garante continuação de mandato e se diz pronto para prorrogação

Da Redação

O prefeito de Divinópolis, Galileu Machado (MDB), divulgou na tarde desta quinta-feira, 16, um desabafo à população sobre as dificuldades enfrentadas até o momento na Administração e das ações desenvolvidas e planejadas para a cidade.

No texto, o chefe do Executivo afirma que não deixará seu mandato e, ainda, garante estar pronto para prorrogação do governo, caso esta seja aprovada.

Leia o desabafo na íntegra.

"'Aprendi que mais vale tentar do que recuar...
Antes acreditar que duvidar, o que vale na vida não é o ponto de partida, e sim a nossa caminhada.' (Cora Coralina)

Qualquer um que queira, pense, insinue ou imagine que eu vá abdicar da missão que me foi confiada por 58.433 divinopolitanos (67% dos votos válidos) não conhece a nossa história de vida. Quatro vezes conduzido ao cargo mais importante de nossa cidade, pautado sempre pelo compromisso com o povo, considero qualquer opinião nesse sentido completamente fora da realidade.

É preciso reconhecer que o plano de governo endossado pela população encontrou e encontra dificuldades na sua execução plena, não por nossa vontade. É resultado de uma conjuntura que se reflete na economia de Divinópolis e de praticamente todos os municípios mineiros. Ou alguém, em sã consciência, acredita que eu não sou o maior interessado em executar obras e serviços? 

A gestão de uma cidade como Divinópolis é hoje uma missão hercúlea. Logo no primeiro ano, 2017, quitei R$ 53 milhões que ficaram de restos a pagar. Em 2018, quando acreditávamos na retomada do investimento, o Governo do Estado, ainda sob o comando do governador Pimentel, iniciou um crime sem precedentes na história do Brasil contra as prefeituras. Com um único decreto, iniciou o sequestro do dinheiro dos Municípios. Somente de Divinópolis foram sequestrados, em 2018, cerca de R$ 100 milhões.

Porém, o ano de 2019 se desenhava diferente. Mas a esperança que renascia não chegou a prosperar. O novo governo mineiro manteve o decreto criminoso e, por três meses, continuou sequestrando o dinheiro que, por direito, pertence ao povo de Divinópolis. De um orçamento que, na prática, é de pouco mais de R$ 500 milhões, R$ 120 milhões foram usurpados. E quando contávamos com respaldo jurídico para receber, nos foi apresentada uma decisão de que esse dinheiro só será devolvido em 30 parcelas mensais, com a primeira delas sendo paga em janeiro de 2020. 

Apesar da situação, não há tempo para se entregar ao lamento. Principalmente porque os problemas que afligem nosso povo não podem esperar. Buscamos alternativas a esse quadro dramático. Não vou deixar ‘o barco fazer água’. Arregaçamos as mangas, já que é preciso trabalhar ainda mais. E os resultados já se apresentam. O que todos esperavam de nosso governo finalmente se desenha no horizonte. 

Em breve, iniciaremos a construção de dois novos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei). Os projetos já estão em fase final de liberação em Brasília. Também deverá ser autorizada para breve a construção de 26 apartamentos para os moradores do Alto São Vicente, que foram retirados de suas casas. A construção está sendo viabilizada através do Programa Minha Casa Minha Vida e é resultado do nosso empenho, com apoio fundamental dos deputados federais Domingos Sávio, Newton Júnior e Jaiminho Martins. Os prédios serão construídos no antigo campo do ‘Salgadão’.

Outra ação que merece destaque é a iniciativa inédita que tive de promover o leilão de alguns lotes da Prefeitura em bairros da periferia. Normalmente, estes imóveis estão cobertos de mato. Servem apenas de transtorno para os moradores, oferecendo riscos à saúde e servindo de esconderijo para marginais. A proposta que enviaremos ao Legislativo é de se preservar alguns imóveis para futuro aparelhamento nesses bairros. O restante será vendido e todo o dinheiro arrecadado será reinvestido na própria comunidade. O dinheiro ficará em uma conta específica para ser fiscalizado e gasto com obras para o local.

A primeira ação nesse sentido será a construção de duas unidades de Estratégia Saúde da Família, o antigo PSF, nos bairros Jardim Oliveira e Santo André. Além dessas duas unidades, conquistamos junto ao Ministério da Saúde outras cinco unidades, que já estão em fase de estudos e deverão seguir o mesmo formato.

Há ainda uma iniciativa estruturante que consideramos fundamental para nossa cidade, a conclusão do semi anel rodoviário. Está em fase final de projeto da ponte sobre o Rio Itapecerica, ligando os bairros Quinta das Palmeiras ao Realengo que, interligada ao viaduto do Complexo da Ferradura, próximo ao Centro Industrial, estabelecerá um novo contorno para Divinópolis. 

Resta ainda dizer que já está em vistas de ser liberado o asfaltamento, rede de esgoto e drenagem pluvial para os bairros Costa Azul, Terra Azul, Grajaú e São Simão, uma obra histórica para nossa cidade. Além dessa importante melhoria, que dará dignidade a milhares de divinopolitanos, o município também planeja obter recursos, através de empréstimo, para refazer por completo o asfalto dos principais corredores de trânsito de Divinópolis, uma vez que o asfalto é antigo e não comporta mais o serviço de tapa-buracos. É necessário refazer todo o piso. Não é preciso ser técnico para entender isso. É uma realidade exposta nas nossas vias.

Porém, até lá, continuaremos com o trabalho emergencial de tapa-buracos. Este ano, tivemos uma situação agravada pelo período maior de chuvas e, claro, pelo agravamento da situação financeira. Mesmo assim, atuamos de forma decisiva e, além do trabalho feito pela própria Prefeitura, licitamos uma empresa para trabalhar com o chamado asfalto quente em pontos onde esse tipo de material era o mais recomendado.

Das 600 toneladas desse asfalto que foram adquiridas, cerca de 200 toneladas já foram utilizadas, além de toda a produção de massa asfáltica feita pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e aplicada pela própria Semsur, através de um convênio com a Emop. 
Desta forma, cerca de 70% dos buracos já foram tapados. Acusar a Semsur de miopia é fechar os olhos a esse trabalho que tem atendido toda a cidade. Aliás, o pior cego é aquele que não quer ver. 

Há ainda inúmeras outras ações, que tomariam páginas de descrição. Listei apenas algumas para mostrar que, apesar de toda dificuldade, em nenhum momento deixamos de trabalhar. É o compromisso que tenho com o povo de Divinópolis. O compromisso de trabalhar por nossa cidade. Não sou um covarde, que se amedronta diante de qualquer dificuldade. Não sou homem de abandonar o barco. Recuperado dos recentes problemas de saúde, renovo minha disposição, com a benção de Deus, em cumprir cada dia do mandato que me foi confiado, inclusive, caso haja prorrogação de mandato, com já a aprovado pela Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania da Câmara Federal. 

Para aqueles que tentam tirar isso de mim, deixo as palavras de Cora Coralina, que abrem esse meu desabafo: "Aprendi que mais vale tentar do que recuar..."

Prefeito de Divinópolis

Galileu Machado."

Comentários
×