Em busca de recursos para a UPA, vice-prefeito tem reunião marcada com secretário estadual

Da Redação 

O vice-prefeito de Divinópolis, Rinaldo Valério (PV), se reuniu no começo da semana com o vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (PMDB), para cobrar o repasse de 13 parcelas de R$ 125 mil de recursos do Estado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto. Segundo Valério, as verbas são necessárias para manter o funcionamento da UPA.

— Explicamos ao vice-governador que esse montante seria suficiente para saldar os atrasados existentes hoje com a organização social que gere a UPA — frisou o vice-prefeito, em referência à Santa Casa de Formiga.

O vice-governador acionou o secretário de Estado de Saúde para tratar do assunto.

— Porém, o secretário está de licença médica por causa de um procedimento cirúrgico. Por isso, marcamos um encontro para 16 de outubro, em Belo Horizonte — informou.

O vice-prefeito destacou a dificuldade enfrentada pelo Município.

— Mostramos ao governo do Estado a situação de dificuldade que enfrentamos e que a maior parte desses problemas é causada pelo próprio Estado. Além do repasse da UPA, queremos mostrar ao governo mineiro a necessidade de uma atuação junto aos reguladores do serviço de encaminhamento e internação — explicou.

Muitas cidades estão com seus hospitais com capacidade ociosa, enquanto a UPA de Divinópolis está sobrecarregada.

— Casos mais simples poderiam ser atendidos nesses locais. Além de aumentar o número de usuários, eleva o custo da unidade — disse.

Ações

Rinaldo Valério relatou ações da Prefeitura. Dentre elas o “Mutirão de catarata” e os investimentos na distribuição de medicamentos.

— Quando assumimos, havia estoque de apenas 20% dos medicamentos previstos para a farmacinha. Hoje, invertemos esse dado: faltam apenas 20% dos medicamentos previstos, e isso porque algumas distribuidoras que venceram a licitação para o fornecimento não entregaram o pedido — justificou.

O vice-prefeito, que é médico, afirma que a experiência adquirida ao longo de 36 anos de Sistema Único de Saúde (SUS) o ajuda a entender o funcionamento do sistema.

— Desde que me formei na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), uma das melhores escolas de medicina do Brasil, atuo no SUS. Somente na UPA (antigo Pronto-Socorro) são 30 anos de trabalho. Aliás, quando optei também pela vida pública, fiz questão de buscar uma especialização em Saúde Pública, justamente para buscar mais preparo — destacou. 

O vice-prefeito aposta no encontro com o secretário de Saúde nos próximos dias.

— Sabemos das dificuldades, mas estamos buscando soluções. A saúde é uma das prioridades desse nosso governo. Mas não podemos ser demagogos. Sabemos das dificuldades, principalmente aquelas enfrentadas pelos cidadãos mais carentes. Sabemos que há muito o que melhorar. Estamos buscando condições para isso. Por isso acreditamos muito na reunião com o secretário de Estado da Saúde, no próximo dia 16 — finalizou.

Comentários
×