Em áudio, pastor ameaça vítima

Em um dos trechos, Jesiel diz: “Que pena que você não teme pela sua vida e da sua família”

Da Redação

A situação do pastor Jesiel Júnior Costa Oliveira, que atuava na igreja Batista Filadélfia, no bairro Porto Velho, tem se mostrado delicada. O líder religioso foi preso na terça-feira pela Polícia Civil (PC) e está preso preventivamente na Floramar. As investigações apontam Jesiel como responsável por cometer os crimes de estelionato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, inclusive usando a conta bancária de igrejas da qual era diretor. O Agora teve acesso com exclusividade a uma ligação telefônica entre uma vítima, que por razões de segurança não será identificada, e o pastor, na qual ele diz sentir muito por ela não temer pela própria vida e de sua família.

Áudio

Ao ligar para Jesiel, a vítima pede ajuda sobre a questão de um aluguel, pois havia recebido uma intimação judicial e não teria condições de pagar.

— Aquele problema sobre o carro, você ainda vai ser intimada. (...) Então, prepara porque você vai receber outras intimações também. Essas coisas você que tem que resolver. Sinto muito — responde o pastor.

Em seguida, Jesiel diz que o carro da vítima é roubado e ela seria intimada.

— Eu sei que você está com um problema muito sério com o carro roubado que você adquiriu, e o delegado vai te intimar, e você resolver, porque é muita coisa que você vai ter surpresa — conta.

Jesiel ainda pede para a vítima não ligar mais para ele e resolver seus problemas, alegando que não tem como oferecer ajuda.

— Pior que você adquiriu um carro roubado. Isso é crime. Você adquiriu uma propriedade que não poderia ser adquirida. Pegou um recibo e transferiu o carro de um despachante que você sabe muito bem que é roubado — afirma o pastor.

Logo após ele encerra a ligação.

Apesar das acusações, as informações que o Agora teve acesso apontam que o carro estava regular e a alegação de roubo foi uma invenção do pastor que teria prometido ajudá-la, tendo, inclusive, ido até a delegacia com ela.

Ameaça

A vítima voltou a ligar para Jesiel, que atende e volta a pedir que não o ligue mais.

— Não fica me ligando, não, porque eu tenho temor à minha vida e você ficou falando coisa do Viana e ele vai te fazer uma visita também. E eu não quero que você me ligue porque tem muita coisa que está acontecendo aí que eu não quero participação em nada. Então você faz um favor e não fica me ligando mais — diz.

Ela alega não conhecer Viana e pergunta quem ele é.

— Não sei, não. Só sei que tem umas gravações suas rodando e ele vai te visitar aí também. Só estou falando para você porque você me ligou. Achei que era até para isso. Então não precisa ficar me ligando, não — responde.

A vítima volta a reafirmar que não conhece Viana. No momento mais crítico da ligação, o pastor diz, indiretamente, que ela pode estar correndo risco de morte.

— Tem umas gravações suas que estão comprometendo a sua vida. Que pena que você não teme pela sua vida e da sua família, e fica falando bobagem aí — afirma.

Antes de desligar, o pastor volta a pedir para que a vítima resolva os problemas e não volte a ligar.

— Não precisa ficar me ligando, não, resolva os seus problemas. Eu vou bloquear seu número se você continuar me ligando. Não precisa me ligar mais, não, não me ligue, não. Resolva seus problemas — finaliza.

Segundo a vítima, no seu entendimento, Viana faz referência a algum “capanga” do qual ele seria mandante.

Todo este material já está em poder da polícia e anexado ao inquérito.

Acusações

O pastor Jesiel Júnior é sócio de uma empresa que trabalha com recurso de multas de trânsito. Segundo a Polícia Civil, com base nas investigações e os depoimentos colhidos, Jesiel oferecia a elas serem sócias ou abrir franquias de sua empresa. No entanto, tudo não passava de um golpe. Até o momento, o prejuízo total das vítimas está estimado em R$ 300 mil.

Durante o cumprimento de mandados, a PC apreendeu máquinas de cartão, dinheiro venezuelano, euros, computadores, notebooks e panfletos. Em um dos materiais de divulgação do pastor, está a data e o local onde ele vai conversar com um ex-defunto. {Fica subtendido que o homem estava morto e ele o trouxe à vida}.

Comentários
×