Elton, se ligue!

Elton, se ligue!

 

O vereador Sargento Elton (Patriota), autor do pedido de impeachment contra o prefeito Galileu Machado (MDB), apesar de não conseguir seu intento, reforçou na memória do eleitor sua imagem de político contrário à corrupção. Quem acompanha a política sabia previamente que ele não obteria votos suficientes para “impichar” o alcaide. E mesmo o próprio Sargento Elton sabia, ou deveria saber, que não conseguiria cassar o mandato do prefeito porque vereadores, em suas declarações, denunciaram que “tem vereadores na gaiola do prefeito” e que “tem um chá que vereadores tomam na Prefeitura que muda seus votos”. Ora, com parlamentares “na gaiola do prefeito” e com um “chá milagroso” que muda votos de vereadores, as chances de Elton obter votos bastantes para tirar o prefeito do poder eram ínfimas.

 

CPI: “gaiola do prefeito”

 

Embora a Câmara Municipal de Divinópolis tenha se transformado na casa das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI’s) inúteis, não precisava chegar a esse destino amargo. Bastava que, antes de tantos pedidos de CPI, os vereadores apurassem as denúncias existentes contra eles mesmos. Se tivessem criado comissão investigadora para descobrir quais vereadores estão “na gaiola do prefeito” e qual chá muda seus votos, ou ainda quais vereadores vão à Prefeitura pedir cargos comissionados para seus apaniguados, em vez de pedir obras para os bairros, saberiam o quão inútil é gastar dinheiro com CPI’s para investigar ou cassar o prefeito Galileu Machado, sem causa minimamente relevante ou plausível.

 

Canteiros de obras

 

Estou feliz com o fato de a Câmara Municipal ter aprovado a lei 8.630, que a autoriza a contratar operação de crédito com instituições financeiras, no valor de R$ 40 milhões, para obras em Divinópolis. Este empréstimo está dentro da capacidade de endividamento e pagamento da Prefeitura. E o argumento da oposição de que o Governo Galileu vai deixar dívidas para o próximo prefeito não se sustenta, porque Galileu também assumiu dívidas do seu antecessor.

E, no caso presente, vai, em contrapartida, deixar também obras. Foi sempre assim aqui em Divinópolis. Com esta verba, Galileu pode transformar a cidade em um canteiro de obras.

 

Chega de “mimimi”!

 

A oposição está “chiando” porque sabe que com esses R$ 40 milhões e mais os R$ 22 milhões remanescentes do PAC I, que foram liberados graças à intermediação do deputado federal Domingos Sávio (PSDB), para a realização de obras nos bairros São Simão, Grajaú, Terra Azul e Costa Azul, Galileu Machado certamente vai se fortalecer diante do seu eleitorado. Agora, o que cabe à oposição é fiscalizar o uso das verbas liberadas.

 

R$ 62 milhões para obras!

 

Mãos à obra, vereadores: fiscalizem as obras!

 

R$ 40 milhões

 

I – R$ 27 milhões para pavimentação, recomposição de pavimentos, calçamentos, drenagem pluvial, recuperação e canalização de córregos, recuperação de estruturas em pontes e viadutos em locais diversos do município de Divinópolis.

 

II – R$ 11 milhões para construção do Complexo Rodoviário ligando os bairros Maria Peçanha e Realengo, constituído de uma ponte sobre o rio Itapecerica, pavimentação de vias, drenagem e iluminação pública.

 

III – R$ 2 milhões para obras de edificação e conclusão do primeiro pavimento da segunda etapa da sede administrativa do Município.

 

Fiscalizem também a verba do PAC!

 

R$ 22 milhões foram liberados para a realização de obras de asfaltamento das vias de transporte coletivo dos bairros Grajaú, São Simão, Terra Azul e Costa Azul. Os recursos também contemplam a construção da rede de esgoto do bairro Jardinópolis.

 

O rei dançou para seu povo

Repercutiu nas redes sociais a dança que o vereador Delano executou como rei perpétuo, coroado do terno de Santa Isabel.  É que, geralmente, os reis e rainha do reinado são sisudos, circunspectos. Delano rompeu a tradição e dançou junto com os reinadeiros. Os saltos e danças de Delano diante do seu povo foram expressão de alegria e de louvor a Deus. A dança foi uma forma de regozijo religioso, uma expressão da alegria que o médico/vereador trazia na alma. Muito bonito!

Comentários
×