Elevação da inflação é puxada pela carne bovina

Da Redação

A inflação disparou devido à alta da carne bovina, reajustes dos jogos lotéricos e da bandeira vermelha na energia elétrica. Em novembro, fechou em 0,51%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e deve fechar dezembro em 0,81%, segundo relatório do Banco Central (BC) publicado ontem. Apesar da alta recente, o BC considera que a inflação neste ano e nos próximos está em níveis confortáveis. Dentro deste parâmetro, especialistas do BC projetam uma inflação de 0,53% para janeiro de 2020, e para fevereiro próximo, algo em torno de 0,45%.

Meta

Hoje o acumulado da inflação nos últimos 12 meses está em 3,27%, segundo o IBGE. E cabe ao BC alcançar a meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é de 4,25% para 2019. E, para controlar a inflação, a autarquia utiliza a taxa básica de juros, a Selic. É de responsabilidade ao Comitê de Política Monetária (Copom) controlar de maneira mais óbvia a taxa. Sendo que a tendência ao longo do ano foi de baixá-la, o que fez com que o crédito ficasse mais barato, estimulando a atividade econômica.

Preços

E notícias vindas do outro lado do mundo não são boas para o bolso do consumidor brasileiro. É porque os graves problemas na produção de suínos na China estão longe de acabar, e esta situação, somada à alta do dólar, o que para a indústria é bem mais atrativo, deve prolongar os preços praticados até meados de 2020.

— O importante para a economia brasileira é que vamos fechar o ano dentro da meta da inflação estabelecida. Este último aumento da carne bovina já era esperado, mas não tão alto, devido às festas de fim de ano. O que levou também ao aumento de produtos como os ovos, carne suína e frango. Agora, sobre 2020, a tendência é que o mercado se ajuste ao longo dos primeiros meses e o preço da carne tenha alguma queda. Isso sem dizer que ela volte aos preços comercializados antes dos aumentos — avaliou o economista Leandro Maia.

Comentários
×