Eles não!

João Carlos Ramos

As águias não pertencem ao grupo das aves da família Cathartidae, da ordem dos cicorniformes, chamadas popularmente de urubus. Voam no mesmo céu, mas em alturas diferentes.

A ovelha, completamente indefesa, se alimenta de capim e, às vezes, de feno, silagem e alimentos concentrados, conforme cuidados dos pastores, se diferenciando completamente do seu maior predador, o lobo. A natureza é pródiga em lições e estabeleceu limites e apetites diferenciados, entre as diversas classes do mundo animal. Igualmente, podemos refletir sobre os seres humanos.

Homens e mulheres possuem naturezas de ordem cultural, física, mental e espiritual diferenciadas e até conflitantes. Para preservar o instinto de sobrevivência, são capazes de atos de bravura e loucura aos olhos de sua própria espécie. No Brasil, como nos diversos países do mundo, não diferenciamos política (grupos que integram a polis – cidade), cuja finalidade é a integração do espírito democrático, visando ao bem comum, da mera "politicagem". Consequentemente, podemos ver a inversão de valores se refletindo em todos os segmentos da vida social. O nosso país, recentemente, foi palco de manifestações de cunho meramente político-partidário, chamadas "Ele não". Seus componentes se referiam à oposição a um indivíduo, contrário ao posicionamento de seus grupos. O povo não decide aquilo que já está decidido, sabendo que o filme sempre se repete, tanto do lado esquerdo quanto direito. O verdadeiro poeta sobrevive do pólen social, como a abelha do pólen das flores.

Sua visão é totalmente diversificada e, como tal, abrangente, bela e totalmente altruísta. Assim posto, opino, de forma contundente: eles não! Em hipótese alguma me refiro a pessoas.

Cobro apenas resultados de todos, que, infelizmente, são piores de que antes imaginados. Obviamente, o povo compõe esses sistemas, prometendo a todos, e não cumprindo, para depois condenar aqueles que fazem o mesmo. A referida mensagem "eles não" não consiste em convites para a nulidade ou duplicidade do voto, visando ao caos... Muito pelo contrário: o homem integral consiste em aceitação/negação, visando a lucratividades eficazes e múltiplas. Além do mais, podemos aplicar em outros campos, sabendo que a efemeridade come em nosso prato diário.

Tudo é veloz e transitório. A areia movediça está dentro de nós e morremos a cada passo. Nossas maiores prisões são aquelas que condenamos e aparentemente fugimos delas...

Sempre tivemos problemas e sempre os resolveremos de forma equivocada, resultando em outros maiores. Sejamos como a águia e miremos o infinito, onde está a solução. Jamais alguém lhe ensinará a lição do suor a ser derramado por ti e também tirará as pedras do caminho que resultarão em futuros benefícios. Aprenda, de uma vez por todas, que a águia voa só e desce apenas quando seus olhos microscópicos detectam a presa a ser deliciada. Boa sorte a todos!

jocarramos@gmail.com

Comentários
×