Elefantes brancos da Copa

José Carlos de Oliveira 

Os elefantes brancos da Copa do Mundo, disputada no Brasil em 2014, não param de assombrar a população brasileira. Aquela pagadora de impostos, que viu bilhões de reais escorrerem pelos ralos da corrupção na construção de estádios e praças de esportes para as disputas do torneio em território nacional. E de onde menos se espera aparece mais uma lambança perpetrada por políticos e empresários.

Boa Vista

O Cruzeiro joga hoje contra o São Raimundo, em duelo da primeira fase da Copa do Brasil 2020. Mas a principal notícia nos órgãos de imprensa pelo país afora não é sobre o duelo e nem tem relação com as duas equipes, verdadeiros protagonistas do espetáculo, mas, sim, com os rios de dinheiro que desceram pelos ralos durante a organização da Copa do Mundo.

E também em Roraima a corrupção andou solta. Com um custo inicial estimado de R$ 30 milhões, o estádio Flamarion Vasconcelos, mais conhecido por Canarinho, em Boa Vista, Roraima, começou a ser construído em 2012, para ser uma sub-sede para as equipes que jogaram o mundial em Manaus, no Amazonas.

Hoje, em fevereiro de 2020 e já passados seis anos da realização do mundial, o estádio continua em obras e sem previsão para ser terminado. Para relembrar as lambanças dos políticos, a Raposa jogará nesta noite num estádio onde apenas parte de sua estrutura foi concluída em mais de oito anos de obras.

É a conta de todas as “maracutaias” sendo cobrada até os dias de hoje. E com juros e correção monetária.

 

Tragédia do Ninho do Urubu

No último fim de semana a tragédia do Ninho do Urubu, centro de treinamentos do Flamengo do Rio, e onde dez adolescentes perderam a vida, completou um ano. O rubro-negro carioca insiste em protelar um acordo com os familiares dos jovens que tiveram seus sonhos interrompidos pelo fogo.

Pouco caso

O mais triste nessa história toda é ver os dirigentes daquele que é o clube mais querido do Brasil tentando enrolar as pessoas, como se isso ainda fosse possível. Os cartolas rubro-negros tratam a tragédia como um acordo comercial qualquer, preocupados que estão em quanto em dinheiro terão que desembolsar para indenizar as famílias. Olham para as famílias dos garotos como se fosse um peso a mais a ser carregado.

A conta ainda chegará

Que não se iludam os cartolas cariocas, pois em tudo que fazemos ou deixamos de fazer nesta vida a conta chega, mais dia, menos dia. E todo esse menosprezo com que tratam as famílias daqueles que perderam a vida defendendo as cores do clube ainda será cobrado, com juros e correção.

E essa é uma verdade da qual ninguém pode fugir. A justiça dos homens pode até ser falha, mas a de Deus é certeira, e nada debaixo do sol fica a descoberto e sem punição.

Torcedores

Nesse triste episódio, há que se ressaltar o outro lado, o dos torcedores do Flamengo. São os próprios rubro-negros os primeiros a cobrar de seus dirigentes uma solução rápida e definitiva para o impasse. E que o nome dos jovens mortos no incêndio seja colocado no devido lugar, na galeria de heróis do clube carioca.

Nem mesmo os ídolos de todas as conquistas do clube rubro-negro podem ser comparados a eles, pois, mais que campeões no futebol, os garotos foram vencedores pela vida. Sua luta e seus sonhos devem ser lembrados como uma dádiva a embalar os corações de todos os flamenguistas, para hoje e todo o sempre!!!

Comentários
×