Elas por elas e...

...como antes? Para cumprir norma. É bem isso que foi feito pelo prefeito Galileu Machado (MDB) no ato de exoneração e nomeação dos servidores comissionados da Prefeitura. Até ontem, o chefe do Executivo havia chamado de volta 149 dos 168 demitidos no último dia de 2018. O total ainda é incerto, já que até o fim deste mês, outros serão nomeados. Isso será feito de forma gradativa, então o número pode ser pouco menor, igual ou maior. Ou seja, ficou elas por elas.

 Dá com uma mão...

 ...e tira com a outra. Não se pode negar que Galileu agradou a população em cheio ao não mexer na planilha do transporte coletivo. Ele descartou o aumento na passaginha em 2019 e assim, ajudou e muito, principalmente àqueles que precisam dos ônibus todos os dias para se locomover. Mas também não se pode deixar de falar que chamar todos os servidores de volta, em um momento como este, é dar murro em ponta de faca.

 Menos redução...

 ...altos salários. É público e notório que as Prefeituras vão continuar com a corda no pescoço até pelo menos a metade de 2019. Assim, os salários correm risco de atraso, os repasses não chegarão de forma regular e, muitos menos, as dívidas dos municípios serão quitadas. Então não adianta reduzir mesmo que em quantidade considerável, o número de comissionados se os salários de alguns forem lá para as alturas. É enxugar gelo!

 Se sair do controle...

 ...o bicho pega. E não pode. Galileu fez muito bem ao ir à Câmara, se encontrar com vereadores, pessoas presentes e enfrentar um bombardeio de perguntas da imprensa. Fez o papel da pessoa que ocupa o principal cargo político na cidade, explicou situações delicadas e foi corajoso ao não reajustar a passaginha.  Porém, ao mostrar que é ele quem manda, precisa principalmente diminuir os altos salários, doa a quem doer, resolver o imbróglio do lixo de uma vez por todas e pressionar a Copasa a acelerar as obras.  E é para ontem (literalmente), já que foi o dia prometido por ele a continuar com a Arbor com restrições ou mandá-la passear. É isso que seu eleitor, Galileu, sempre esperou de você. Então, mãos à obra.

  Se deu certo...

 ...não há problemas em continuar. Em se tratando de economizar vale continuar sim o atendimento em meio expediente na Prefeitura. Desde que as outras medidas sejam também adotadas. Uma coisa soma a outras. Agora sacrificar a população com a opção apenas de meio horário, muitas pessoas não conseguem ir à tarde, para favorecer a alguns é o que não pode.  Neste caso, “pau que bate em Chico, tem que bater em Francisco”, também. Nada mais do que justo. Desde ontem, todos os setores administrativos estão mantendo a redução da carga-horária, funcionando das 12h às 18h.

 Sobre o 13º...

 Não precisa nem fazer planos. Se em Divinópolis, os celetistas e pensionistas receberam o benefício, e o restante a promessa é para este mês, no Estado nem isso. Os servidores estaduais que fizeram planos com o dinheiro podem correr atrás de outras alternativas. Um dia após ser empossado governador, Romeu Zema (Novo) afirmou que o 13º não será pago tão cedo. Surpresa, na verdade, seria se ele anunciasse que iria pagar, afinal, habitamos em um estado completamente falido.

 Se fosse só isso...

 ...dava-se um jeito. Dos problemas deixados pela gestão Fernando Pimentel (PT), a dívida do 13º é apenas um dos que o governo Zema terá que enfrentar. A previsão de déficit para 2019 é de R$ 11,4 bilhões, além da dívida também milionária com os municípios que há muito não sabem o que é repasse para Saúde e Educação, entre outros. Somente para Divinópolis, o valor ultrapassa os R$ 100 milhões. Sinceramente? Nem o pacto de todas as forças políticas proposto por Zema, tira o Estado do CTI. #pensamentopositivo

Comentários
×