Educadores acionam justiça

 

Da Redação

A greve nas escolas municipais de Divinópolis vai continuar. O Sindicado dos Trabalhadores na Educação Municipal de Divinópolis (Sintemmd) realizou uma nova assembleia na tarde desta segunda-feira, 26, e os profissionais da educação optaram pela continuidade da paralisação. De acordo com o diretor de comunicação do sindicato, Gleydson Rogério de Araújo, a greve vai continuar até que a Prefeitura de Divinópolis faça o pagamento dos salários dos servidores de forma integral. Ainda segundo o diretor de comunicação, o Sintemmd irá pleitear uma Ação de Dissídio para que a justiça possa intermediar nas negociações, e ajudar a encontrar uma solução para o problema.

— Diante da falta de avanços nas negociações diretas, e a não transparência por parte do Executivo em solicitações a ele encaminhadas, entraremos esta semana com um pedido de Dissídio na justiça, buscando a intermediação do Judiciário para a solução deste problema de falta de pagamento — afirma.

Transtornos

Gleydson ressaltou ainda, que o não pagamento dos salários obriga a categoria a adotar medidas que trazem transtornos à população. Conforme enfatizou o diretor de comunicação, a responsabilidade da Prefeitura de não pagar para os servidores da educação, não pode ser transferida para os trabalhadores, visto que tais atos, como greve total, operação ‘Tartaruga’, mobilização na Câmara, atos no comércio, ação judicial são a única alternativa que eles têm para este momento.

Prefeitura

A Prefeitura informou em nota que, o governo do Estado deve mais de R$ 17 milhões referentes ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A verba, que é carimbada, é destinada para o pagamento dos salários dos servidores da educação.

No início da tarde de ontem, 27, o Executivo disse ainda que cada dia de paralisação da rede Municipal terá que ser pago no mês de janeiro. Conforme, explicou a Prefeitura, não há mais datas disponíveis em 2018 para cumprir a exigência do Ministério da Educação de 200 dias letivo ano. Informou também que três escolas municipais já retomaram as atividades e irão estender o ano letivo de 2018 até o dia 29 de dezembro.

A Escola Municipal Dionísio Joaquim Rodrigues, no Cacoco, e os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei´s) Miguel Rodrigues Filho, no bairro Lagoa das Mandarins e Maria José Fernandes no bairro Candelária retornaram às aulas e tiveram o novo calendário ajustado junto à Secretaria Municipal de Educação (Semed), prevendo aulas também aos sábados e no feriado de 8 de dezembro.

— É lei, são 200 dias letivos. Se não for possível cumprir dentro do ano em andamento, será complementado no ano seguinte — esclareceu a secretária de educação, Vera Prado.

 

 

 

Comentários
×