Edson Sousa quer saída urgente  do PMDB: ‘presente de Natal’

Vereador se diz desconfortável e afirma já ser sondado por outras siglas

 

 Ricardo Welbert  

O vereador Edson Sousa (PMDB) surpreendeu os colegas ontem como o anúncio de que está saindo do PMDB. Durante pronunciamento na Câmara, ele disse que está cansado do partido, ao qual se filou em 22 de setembro de 2015. A articulação pelo desembarque começou há poucos dias, quando se encontrou com o prefeito Galileu Machado, principal nome da sigla na cidade, durante uma audiência pública no bairro São José. Conversa que voltou a ter com o chefe do Executivo anteontem.  

—Não estou me sentindo confortável no PMDB. Os motivos são vários, mas um deles é a falta união do partido. Mas não quero que meu desligamento seja um processo conturbado. Pelo contrário, quero que seja amigável e sem transtornos — disse.  

Os outros dois nomes do PMDB na Câmara são Adair Otaviano e Dr. Delano. Perguntado pelo Agora sobre o relacionamento com estes colegas e se algum deles seria o motivo da estafa partidária, Edson preferiu não se comprometer.  

— Não quero falar disso — afirmou.  

O vereador diz torcer para que Galileu aceite seu pedido de desvinculação hoje ainda.  

— Será o meu presente de Natal — acrescentou.  

 Namoros  

Edson garante que já vinha sendo sondado por outros partidos. Assim que tornou pública a intenção de deixar o PMDB, recebeu mais manifestações de interesse por ele. Já tem até favoritos, mas se recusa a dizer quais.  

— Existe uma tendência natural de um novo caminho, que será bom pra todos. Minha saída vai ser boa até mesmo para o próprio PMDB. Em breve estarei de casa nova, o que significa um olhar diferente, uma vida nova. Com isso, pretendo alcançar uma política melhor — disse. 

Ao ser questionado se a saída do PMDB fará dele um vereador mais inclinado à oposição ou à situação, Edson foi categórico:  

— Isso não vai mudar em nada o meu jeito de ser e a minha postura na Câmara. Meu compromisso com Divinópolis independe de filiação. Acredito que no novo partido eu terei mais liberdade de trabalhar para impedir que a antes chamada “Princesinha do Oeste” se torne a “Garota da Lage” — finalizou. 

 O vereador  

Edson Sousa filiou-se ao PFL em 1986. Em 2003 migrou para o PL, onde ficou até 2005. Mudou então para o PDT, partido do qual saiu em 2011 para se filiar ao PSB, que o abrigou até 2013. Após passar quase dois anos sem filiação partidária, registrou-se então no PMDB, pelo qual disputou as eleições de 2016 e foi eleito com 1.579 votos para a atual legislatura, que termina em 31 de dezembro de 2020.   

 

Comentários
×