Editora encerra ano com resultados positivos

 

Jorge Guimarães

Embora o cenário de crise seja uma realidade do mercado editorial brasileiro, a Gulliver Editora encerra o ano de 2019 com um aumento significativo do número de publicações de originais. Há quase uma década de atuação no mercado, a editora divinopolitana elevou o número de livros publicados em 34% em comparação ao ano anterior.

Para o editor da Gulliver, Joubert Amaral, os números são resultado de um trabalho que envolve um investimento constante em projetos editoriais que somam para expansão dos gêneros e dos títulos publicados pela editora.

Destaques 2019

Com três selos editoriais, Gulliver (literatura infantojuvenil e adulta), Artigo A (livros técnicos e acadêmicos) e Adelante (autores iniciantes e/ou independentes), a editora chegou ao fim de 2019 contabilizando mais de 60 títulos publicados, incluindo aqueles com caráter de prestação de serviço, os quais não recebem selos.

Destaque

Dentre as diversas obras publicadas, algumas podem ser destacadas por razão de suas abordagens a temas contemporâneos e inovadores, o que resultou em recordes internos de vendas. Um bom exemplo é o novo livro do jornalista Flavio Gomes, nomeado "Gerd, der Trabi" (selo Gulliver), lançado no mês em que se completaram 30 anos da queda do muro de Berlim. A obra narra a história de amizade entre um homem e um carrinho de plástico, carinhosamente apelidado de “Gerd”, em uma viagem inesquecível pelo Leste Europeu.

‘Alma de Músico’

Outro título que merece destaque é "Alma de Músico" (selo Gulliver), livro de memórias para celebração dos 50 anos de carreira do músico e compositor Túlio Mourão, autor de premiadas trilhas sonoras. A obra envolve o público leitor com relatos de vivências do músico em companhia de grandes nomes da MPB. Tudo isso disposto de maneira fluída em diversas crônicas.

Cris Guerra

O mais vendido do ano, "Escrever uma árvore, plantar um livro", da autora best-seller Cris Guerra, não podia ficar de fora dos destaques de lançamento pelo selo Gulliver. Segunda obra de crônicas da autora, a publicação passeia entre o pessoal e o universal, permitindo que, aos poucos, o leitor conheça a intimidade carinhosa da autora com seu filho.

Juarez Nogueira

O premiado autor divinopolitano Juarez Nogueira também foi destaque deste ano, com o lançamento de seu novo livro “O Segundo Nascimento” (selo Gulliver). A obra, recheada de poemas sobre dilemas e questões humanas, integra a celebração dos 18 anos de carreira literária do autor.

Artigo A

Já pelo selo Artigo A, o primeiro destaque é a obra “Quando me reinventei: lições de pessoas e empresas”, da professora, palestrante e doutora em administração Maria Flávia Bastos, que expõe um debate sobre as atuais transformações do mundo do trabalho e destaca, sobretudo, a necessidade do processo de humanização das empresas. Para a autora, o livro é um desabafo sobre a tendência da atual sociedade em desenvolver angústias e doenças, sendo, muitas delas, geradas no próprio ambiente organizacional.

Adelante

Pelo selo Adelante, um dos destaques foi o “Seguindo a linha: trabalhos manuais tecidos pela vida”, de Anita Guimarães, que teve sua estreia literária aos 90 anos. O livro é um convite para leitores de todas as idades que desejam aprender, passo a passo, diversos trabalhos manuais, e ter contato com histórias inspiradoras vividas pela autora.

Outro livro que merece destaque pelo selo Adelante é o “Reencontro: prosa e verso”, da escritora mineira Sílvia Tibo. A obra reúne poemas produzidos pela autora desde 2012, como fruto de seu reencontro com a escrita. Em seus textos, a autora leva o leitor a refletir sobre temas como morte, felicidade e maternidade.

E, por fim, a obra publicada pelo selo Adelante “Onde guardo as bobagens que eu contava só para você?”, da autora carioca Márcia do Valle, que traduz experiências vividas a dois em textos curtos envoltos por saudade, amor, tristeza e outros sentimentos que povoam a vida de cada leitor.

Novas parcerias

O ano de 2019, além de ter sido marcado por lançamentos de sucesso, estreando autores de Divinópolis e região, se tornou ainda cenário de mudanças importantes para a editora, que fechou contrato com o Clube Leiturinha, considerado o maior clube de assinatura de livros infantis do país.

Para o editor da Gulliver, Joubert Amaral, o ano terminou melhor que o esperado.

— O mercado editorial, em geral, sofreu muito neste ano com a crise que atinge o país, porém, a Gulliver soube se reinventar, buscando novas parcerias com autores de renome, com redes de livrarias e empresas. Conseguimos, com isso, aumentar os títulos de nosso catálogo dando oportunidade para vários autores iniciantes, o que nos deixa esperançosos para termos um bom 2020 — avaliou.

Já com relação às expectativas para o próximo ano, Amaral destaca sobre novas negociações.

— Estamos em negociação com dois grandes nomes de nossa literatura e que ainda mantemos em sigilo, mas as negociações estão avançadas para que eles possam publicar seus livros pela Gulliver Editora — relata.

Novidades

Além disso, Joubert comentou sobre uma novidade no catálogo editorial.

 — Também vamos iniciar uma linha para publicar obras clássicas da literatura mundial que estão em domínio público. Queremos também aumentar nossa participação em redes de livrarias dando, assim, mais oportunidades para que autores iniciantes possam apresentar o seu trabalho. Outro ponto que me deixa feliz é que renovamos também a esperança de, mais uma vez ao lado da Boutique do Livro, realizarmos uma nova edição da Festa Literária de Divinópolis (Flid) — detalhou.

 

 

 

 

 

 

Comentários
×