E viva o 'midiatismo'

Coluna Editorial - "E viva o midiatismo"

É inegável que o boom das redes sociais, que deslanchou há cerca de sete anos, trouxe diversos benefícios para a sociedade, mas também trouxe consigo um novo comportamento: o “midiatismo”. Definindo o termo em poucas palavras, é a necessidade que o sujeito sente de estar sempre em destaque, custe o que custar. É fato que a tecnologia veio para ficar e a tendência é que mais e mais pessoas tenham acesso a ela e, consequentemente, às redes sociais. E essa “curva em ascensão” é nada menos do que um prato cheio para os ditos representantes do povo. Alguns chegam a afirmar que hoje o mundo está na rede social, na internet. Tudo acontece lá, e lá, no mundo virtual, que empresas, pessoas, políticos devem estar para construir o novo modelo de relacionamento e comunicação. É fato e já não tem como mudar isso, que à humanidade só cabe um destino: aceitar e se adaptar. 

Sim! Por mais que alguns se neguem a aceitar os novos moldes de comportamento e relacionamento da sociedade, essa é a nova realidade e ao povo só lhe resta adaptar e usufruí-lo da melhor maneira possível, desejo cada vez maior de criar os ditos “relacionamento virtuais”. É fato também que, por mais que algumas pessoas resistam a esse novo modelo de comunicação da atualidade, o único destino da humanidade é adaptar-se a ele e usufruí-lo da melhor forma possível. Apesar de as palavras deste texto até aqui serem muito bonitas e trazerem os termos “adaptação” e “equilíbrio”, todos sabem que, na realidade, a prática da situação é bem diferente da teoria. É nítido que muitas vezes, em busca de estarem em evidência, em destaque, as pessoas ultrapassam um pouco os limites. 

O exemplo vivo disso é boa parte dos políticos de Divinópolis. Adeptos aos vídeos e aos discursos que não passam de “palavras ao vento”, os parlamentares usam e abusam das redes sociais e esquecem muitas vezes de cumprir o papel ao qual foram eleitos. Esquecem-se que política se faz na articulação, no cara a cara, no diálogo e com muitas andanças por aí, para entender a real necessidade do seu povo. Adeptos ao “mais vale um midiatismo na mão do que um trabalho bem feito”, os representantes divinopolitanos exageram e ultrapassam o limite do bom senso. Em busca apenas do show, dos aplausos, alguns deixam de lado suas reais responsabilidades e o bom senso, e esfregam na cara do cidadão que política de rede social não traz resultado, não traz saúde pública, não traz comida na mesa. 

Hoje, sem sombra de dúvidas, é triste trazer para estas linhas que os parlamentares trabalham apenas em prol de suas imagens. Muito além de usarem suas redes sociais para prestar contas à sociedade sobre os seus trabalhos, os políticos locais mostram que querem apenas estar em evidência com seus vídeos e seus discursos, que não passam de palavras ensaiadas. É fato que temos que nos adaptar aos novos moldes da sociedade e da comunicação, mas é fato também que bom senso nunca foi demais para ninguém, principalmente para quem exerce um cargo de tamanha responsabilidade. E que tudo que é demais passa do ponto.

Comentários
×