E assim recomeço

A casa está vazia. Quem veio já voltou. Silêncio, colchões empilhados, sinais de movimento no dia anterior. Gente. Ouço os passarinhos cantando, enquanto, devagarzinho, vou colocando as coisas no lugar. Eu deveria confessar que estou cansada. Mas prefiro revelar que estou feliz. Feliz por ter começado com eles mais um ano de vida! Com eles, essas poucas pessoas que fazem a diferença na minha vida. Aqueles que eu nasci entrelaçada ou criei laços ao longo do tempo. Minha família. 

Para muitos, comemorar o aniversário significa festejar, beber, juntar muitas pessoas e ganhar muitos presentes. Para outros, fazer a viagem dos sonhos. E ainda tem aqueles que preferem um lugar tranquilo para repensar a vida e traçar novos planos. Tudo depende da fase em que estamos. Tudo depende do contexto de cada um. 

Os dias continuam os mesmos, embora os astros insistam em nos dizer que há uma renovação no ciclo, conforme a data de nossos aniversários que vai muito além das previsões.

De qualquer forma, independente da crença, fomos escolhidos para estar aqui, para chegar no dia tal, na hora tal e na família x. Tudo isso deve ter um sentido. Eu poderia ter nascido no Sudão, na África do Sul ou em qualquer outro lugar. Mas quis o universo que eu chegasse nesta família, neste dia, neste amado e idolatrado país; filha dos dois e irmã dos três. Foi nesse ninho que eu cheguei e fui criada. Então é aqui que eu hei de crescer e florescer. É aqui que eu luto para fazer os meus dias produtivos e melhores. É aqui que eu busco a minha evolução como ser humano.

Já tive a fase da viagem, a fase da comemoração e muitas outras fases. Porém, este ano, o que eu queria mesmo era comemorar a vida, a saúde e a força dos laços. Foi um ano de fortalecer os laços e também de muito aprendizado. Eu experimentei a impotência para certos problemas e a satisfação de conseguir resolver outros. Eu pude conhecer de verdade o tamanho do meu amor para com pessoas que eu achava que gostava e provei da força que vem das boas energias que nos rodeiam. De quebra, vivi a alegria de estar presente na chegada de um novo ser, um dos momentos mais emocionantes do meu ano. Posso dizer que foi um ano de grandes provas, um ano que, com toda certeza, ficará guardado na minha história. Os desafios continuam no dia seguinte, a vida continua na mesma toada. Mas eu recomeço com a certeza de que, para ser feliz de verdade, a gente precisa de muito pouco.

leilarodrigues.com.br

Comentários
×