E assim continuamos...

Amynsinho Rachid

Tempos malucos, de reinventar, de se transformar, sair da zona de conforto e da rotina, ou melhor, se adaptar a uma nova.

Nunca imaginamos viver e ver momentos em que você entra no banco, mascarado, pede dinheiro e é atendido. Nunca imaginamos que nossas mãos iriam consumir mais álcool que nossos fígados. Essa quarentena está pior que série da Netflix, quando você pensa que acabou, vem a outra temporada. Bom para a turma que não quer ser reconhecida e com as máscaras está passando batida. Com certeza precisamos manter a distância social da geladeira, pois a tendência da gordura abdominal está danada. Você saberia dizer se a segunda quarentena tem que ser com a mesma esposa ou existe a opção de escolha? Com certeza temos a sensação de ter novamente 15 anos, não ter dinheiro no bolso, estar com o cabelo grande e sem permissão para dar um rolé, mas, mesmo assim, ainda estamos melhores que as testemunhas de Jeová, que sabem que todos estão em casa, mas não podem bater em nem uma outra... Mas vai passar, ou melhor, está passando.

Entramos em uma nova onda e agora, graças a Deus, podendo trabalhar. Notamos que todo mundo está empenhado com as precauções, ou melhor, os comerciantes e os clientes ainda precisam melhorar. A turma ainda está se aglomerando e as máscaras não estão sendo usadas da maneira correta.

Veja as agências da Caixa Econômica Federal e as loterias: estão lotadas e sem afastamento de dois metros por pessoa. E vai pedir para a pessoa ficar mais longe de você… A briga começa na hora.

Fui a um supermercado e o funcionário que fica com o termômetro na porta não foi treinado adequadamente. Quase te bate para que aferir sua temperatura e te dá um banho de álcool. Loucura.

Agora estamos aguardando o carnaval. A Prefeitura já determinou que a segunda-feira não será ponto facultativo para todos os funcionários públicos. Já o comércio sempre troca um dia do ano, que é feriado, pela segunda-feira de carnaval. Com isso, acredito que teremos, de novo, a turma nas praias e barragens trazendo de novo um grande número da peste.

Seria interessante se bloqueassem a turma na chegada e, por meio, de teste descobrissem quem está trazendo o presentinho de atum. Vamos preservar nossos idosos e nossos doentes.

E assim continuamos torcendo por momentos melhores...

TOK EMPREENDIMENTOS,  rua Cristal, 120, Centro.      

rachidmendes@hotmail.com

      

 

     

Comentários
×