Du-vi-de-o-dó

Duvido, e muito, que os vereadores vão mesmo investigar quais de seus pares estão na gaiola do prefeito! Explico: o vereador Sargento Elton (Patriota) apresentou a ata de uma reunião do Conselho da Diviprev em que determinado servidor da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz) teria dito que os edis possuíam um grande número de funcionários comissionados na Prefeitura. Parlamentares que não indicaram amigos para cargos comissionados querem descobrir quais fizeram troca-troca com o chefe do Executivo. Alguém acredita que a maioria dos vereadores, alguns suspeitos de terem praticado o delito, vão dar quórum para a investigação? Só acredito vendo!

E mais...

Neste imbróglio envolvendo tal denúncia de troca-troca, vejo ex-presidentes da Casa, ex-apoiadores do alcaide, apoiando a iniciativa de investigação, só porque depois que abandonaram o “barco do prefeito”, não têm mais amigos em cargos comissionados (foram exonerados) na Prefeitura. Mas tiveram em passado recente. Muito oportuno que sejam esses também investigados, pois, em certo momento do mandato, incharam a Administração, indicando amigos para cargos de livre nomeação.

Eleição 2020: renovação

As eleições do ano que vem, que vão escolher o novo prefeito e os vereadores, já movimentam os bastidores da política. E para o bem do futuro da cidade, nas redes sociais, nos bares, botecos, ruas e ruelas, começam a falar de nomes novos dispostos a se candidatar a prefeito e vereador. Vou citar alguns pré-candidatos assumidos e outros ainda pensando: Alexandra Galvão, diretora da empresa Gemáquinas e presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL); Breno Clementino, presidente da Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública (Acasp) e da empresa Breno Contábil; Manoel Brandão, advogado e presidente da OAB/Divinópolis; Luiz Ângelo, diretor da empresa Luiz Fotógrafo. Todos com o mesmo perfil: uma firme e ilibada reputação, sem rabo preso, bem-sucedidos na atividade laboral e não oriundos da classe política. É esperar para ver!

Pauta pesada!

Antes de se candidatarem a prefeito, sugiro a Alexandra Galvão, Breno Clementino, Manoel Brandão e Luiz Ângelo que estudem duas coisas: o orçamento municipal da Prefeitura e a pauta de obras necessárias e urgentes, pois essas chegarão a 2021 sem serem resolvidas. Há várias administrações a Prefeitura de Divinópolis vive um dilema: ou paga em dia o funcionalismo público ou faz obras; as duas coisas, simultaneamente, o orçamento não permite. Quanto à pauta de obra, citarei apenas três: o próximo prefeito terá que convencer o governador Zema (Novo) a terminar e colocar em funcionamento o hospital público; terá que incluir nos planos da AB Nascentes das Gerais a duplicação da MG-050 até a rodovia BR 262; e ainda convencer a concessionária a construir o trevo do Icaraí. Isso para começar, porque há mais!

Será mesmo?

Pesquisa do Podemos mostra que não dá para ignorar o potencial eleitoral de Luciano Huck. Análise do eleitorado feita por pesquisa do partido de Roberto Freira, sobre a viabilidade de Luciano Huck para a presidência em 2022, concluiu que: "Huck é muito forte nas classes C e D, em que Lula também é forte. Na classe B, da qual vem a maior força de Bolsonaro, Huck aparece razoavelmente bem, acima de Lula. Na classe A, de maior renda, Huck tem certa resistência. Muitos o enxergam apenas como um apresentador de televisão. Não se trata apenas de preconceito. Há também a ideia de que ele não tem experiência.

 

Traduzindo e generalizando:

- Classes C e D ainda permeáveis a popularismos.

- Classe B, direita arretada.

- Classe A, à espera de gente realmente preparada (Não se esqueçam de

que aqui é que está o dinheiro).


Será mesmo?

 

Fonte: Censuk Pesquisa de Opinião

*****

Deltan Dallagnol:

"Valores devolvidos aos cofres públicos pela Lava Jato em Curitiba ultrapassam R$ 4 bilhões - só em 2019, montante chegou próximo a R$ 1,7 bi. Acordos de devolução superam R$ 14 bi. Há muito a avançar. Com o apoio da sociedade, seguiremos em frente."



Comentários
×