Dos aprendizados da vida

Leila Rodrigues

Tem dias que levantamos animados, dispostos e confiantes que tudo vai dar certo. Tem dias que acordamos cansados, sem vontade de continuar. Desacreditados no amanhã. Acontece comigo e, com certeza, acontece com você. Faz parte da nossa condição de pequeninos que ainda somos. É como se, ao despertar, considerando que temos um lado positivo e outro negativo, um lado nosso acordasse primeiro e demarcasse o terreno: “hoje eu impero”! E, naquele dia, seguimos a cartilha imposta por nós mesmos.

 Tem pessoas que são sempre positivas, sempre dispostas e animadas. Seriam estas mais evoluídas? Será que, na escola da vida, essas pessoas aprenderam antes de nós? 

Se formos analisar, todos os dias cruzamos com gente animada, de energia boa e confiante. E cruzamos com pessoas pesadas, negativas e difíceis de conviver. 

Se pudéssemos, carregaríamos as boas conosco o tempo todo. E deixaríamos as negativas pelo caminho. Maldade nossa, se também somos a mistura dos dois lados.
Nós não sabemos como foi a noite do outro, quais são suas angústias ou seus temores. Nós não sabemos quase nada além do que vemos. Nós ainda não sabemos nem por que nós mudamos tanto. Por que oscilamos? Como uma noite de sono nos transforma em outras pessoas? Ainda temos dificuldade de compreender a força dos nossos próprios pensamentos, que nos levam para a sombra ou para a luz!

 Admirável mesmo são aqueles que, mesmo carregados de problemas ou de preocupações, conseguem transmitir força, sorrisos, aconchego e boas energias. Esses, sim, são os evoluídos de fato. Esses, sim, merecem o nosso abraço e, no mínimo, as nossas boas energias de volta. É nessas pessoas que devemos nos inspirar. Os heróis silenciosos que vivem no meio de nós. Heróis sem aplausos e sem troféus, mas verdadeiros heróis. Heróis que vencem suas pequenas lutas diárias, que enfrentam seus medos, que atravessam as suas próprias tempestades sem respingar no próximo. Pessoas de diferentes classes, raças, gêneros ou condição, que carregam a simplicidade no semblante e a riqueza no coração. Pessoas que sabem ser luz através das frestas.
Andemos, pois, com nossas vidas e com nossos propósitos, carregados das crenças e descrenças que povoam nossas mentes. 

Ainda temos um longo caminho de aprendizado. E pequeno mesmo é aquele que acha que já sabe tudo!



leila.palavras@gmail.com






Comentários
×