Domingos Sávio lidera grupo em encontro com ministro da Saúde

 

Da Redação

Demandas da área da saúde de Divinópolis e da região Centro-Oeste serão tratadas hoje, 19, em Brasília. O deputado federal Domingos Sávio (PSDB) tem uma reunião marcada com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A intenção do parlamentar é apresentar as demandas da pasta para o ministro e, consequentemente, buscar a viabilização de solução para a complicada situação enfrentada pelos municípios mineiros.

Domingos afirmou ter convidado diversas lideranças para a reunião, como o prefeito Galileu Machado (MDB). A solicitação para o líder do Executivo se deu para apresentar ao ministro a situação do Hospital Regional Divino Espírito Santo.

Importância

Para o deputado, a oportunidade é importante para apresentar as demandas do Centro-Oeste Mineiro.

— Temos pautas urgentes a serem tratadas, dentre elas, podemos destacar a conclusão e funcionamento do Hospital Regional, que ficou quatro anos parado por causa do governo petista de Fernando Pimentel, o custeio do Complexo de Saúde São João de Deus, que atende toda a região, a manutenção de todos os hospitais que compõem a rede de saúde e, principalmente, o credenciamento de toda a rede de urgência, que dá suporte ao trabalho do Samu, o qual trabalhamos para viabilizar — destaca o deputado.

Domingos informou já ter se reunido com o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral Pereira da Silva, e com o ministro da Saúde. Porém, a reunião conjunta de hoje deve contar com a participação de mais lideranças na área da saúde e, consequentemente, busca uma solução rápida para as cidades mineiras.

Apesar do encontro, a situação econômica de Minas Gerais é grave. Divinópolis tem, até o momento, cerca de R$ 116 milhões retidos pelo governo do estado e boa parte desse valor seria destinada à pasta da saúde em Divinópolis.

Dívidas

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também tem sofrido com a falta de repasses estaduais. Cerca de quatro parcelas ainda estão em atraso. No início deste mês, o governo realizou o pagamento de 70% da verba de setembro do ano passado e de 30% de janeiro deste ano.

Comentários
×