Dólar estável derruba preços dos pescados

 

Jorge Guimarães

Com a queda do dólar, alguns pescados importados tiveram seus preços estabilizados, em tese, quando comparados com o mesmo período do ano passado. Assim, a concorrência com o pescado nacional fica nivelado e as opções para o consumidor aumentam, tendo a oportunidade de levar para casa outro tipo de peixe, como o bacalhau.  Os preços do produto nacional também se mantiveram estáveis ao longo do ano. O quilo da tilápia, por exemplo, custava em média, R$ 17,70, em fevereiro deste ano e agora é comercializado a R$ 14,39, queda de 7,18%. 

Bacalhau 

O preço do bacalhau Saithe no início do ano era comerciado a R$ 39,90. Nas gôndolas de uma loja de uma rede de supermercados, ontem, era vendido a R$ 29,90. Já o bacalhau do Porto que custava R$ 59,90 há cerca seis meses, R$ 45,90. Outro pescado muito apreciado pelos consumidores é o salmão.  Em fevereiro último, saia por R$ 35,90, ontem estava 33,90. 

— Minha família sempre foi de pescadores, assim já sou acostumado a comprar pescado durante o ano todo e não estou achando os preços tão salgados em relação ao ano passado — analisou o auxiliar de almoxerifado Fernando Silva.

Para o gerente da loja, Sérgio Antônio, a expectativa é de boas vendas nas mais variadas espécies de pescados.

— Os preços estão muito parecidos, ou até menores, com os praticados no ano passado. A queda do dólar, nos últimos meses ajudou um pouco a equiparar os preços e assim o consumidor poderá mudar o cardápio com outros tipos de peixe. Os preços das azeitonas, azeites e demais itens também estão com preços equiparados — avaliou o gerente.

Receita

Quem levou uma bandeja de bacalhau para casa foi a enfermeira Nadia Sousa.

— Vou elaborar, para a ceia de Natal, o meu prato favorito que é a bacalhoada portuguesa, que leva ainda azeitonas pretas, ovos, legumes e um azeite português — revelou.

 

 

 

Comentários
×