Divinopolitanos que chegaram da Itália ainda não tiveram sintomas

Da Redação

O grupo com 12 divinopolitanos que chegou à cidade nesta terça-feira, 10, da Itália já está sendo monitorado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Segundo informou o órgão, nenhum dos tripulantes apresentava, até ontem, sintomas do coronavírus (Covid 19). Conforme informou o Agora em sua última edição, a viagem dos fieis, organizada por membros da Renovação Carismática, da Igreja Católica, passou por diversos pontos turísticos do país e tinha a presença de duas crianças.

Casos

Além disso, a secretaria informou que o resultado dos exames de dois pacientes com sintomas da doença deve chegar ainda hoje ou no máximo amanhã. O primeiro refere-se a uma mulher que estava no mesmo voo da divinopolitana que testou positivo para a doença. A segunda suspeita nasceu após outra mulher acionar a secretaria com suspeita da doença e ter suas amostras coletadas nesta segunda-feira, 9.

Dos três primeiros casos suspeitos registrados na cidade, um foi descartado. Segundo o órgão municipal, o resultado saiu ontem e testou negativo para a doença.

Precaução

A doença, além de causar o desabastecimento de máscaras e álcool em gel em lojas, tem gerado preocupação nos responsáveis por estabelecimentos na cidade. Conforme apurou o Agora, em uma empresa de cosméticos da cidade, um funcionário foi afastado como forma de prevenir a possibilidade de contágio — mesmo sem os sintomas da doença.

— Há apenas um funcionário que está em viagem à Itália e, portanto, não retomou suas atividades na empresa. Ele está cumprindo todo o protocolo de medidas preventivas direcionadas pelo Ministério da Saúde — informou.

Brasil e mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aumentou ontem a classificação do coronavírus para pandemia. Segundo o órgão, já são mais de 118 mil casos em 114 países e mais de 4,2 mil mortes. O último boletim do Ministério da Saúde, divulgado no início da noite de ontem, aponta o Brasil com 52 casos confirmados: Alagoas (1), Bahia (2), Minas Gerais (1), Espírito Santo (1), Rio de Janeiro (13), São Paulo (30), Rio Grande do Sul (2) e Distrito Federal (2). Outras 907 suspeitas estão em análise.

Apesar de nenhuma vacina ou remédio específico para o coronavírus, o órgão federal adiantou a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza. Prevista para o próximo dia 23 – com Dia D em 9 de maio –, a prioridade serão os idosos e os trabalhadores da saúde, grupo mais vulnerável ao vírus.

— A decisão da pasta é mais uma medida de proteção a esses públicos, em especial aos idosos, já que a vacina é uma proteção aos quadros de doenças respiratórias mais comuns, que dependendo da gravidade pode levar a óbito. Outra preocupação é evitar que as pessoas acima de 60 anos, público mais vulnerável ao coronavírus, precisem fazer deslocamentos no período esperado de provável circulação do vírus no país — informou o órgão.

Ainda segundo o ministério, mesmo sem o efeito contra a doença, a aplicação da vacina agilizará o diagnóstico em casos em que o paciente já está imunizado contra outras enfermidades respiratórias.

— A priorização dos idosos nessa primeira etapa, mesmo diante da não eficácia da vacina de Influenza contra o coronavírus, é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para a Covid 19 — finaliza.

Comentários
×