Divinópolis ultrapassa 500 casos confirmados de coronavírus

 

Da Redação

Divinópolis ultrapassou, conforme o boletim epidemiológico desta quarta-feira, 15, 500 casos confirmados de coronavírus.

O boletim ainda confirma mais um óbito decorrente da covid-19. A paciente, de 78 anos, tinha diabetes, doença renal crônica e Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS).

As informações disponibilizadas pela plataforma “FormSUScap” também apontam 18 mortes decorrentes da doença, 501 casos confirmados, 4.292 notificados, 290 descartados e 407 recuperados.

Notificações

Em relação à faixa etária dos indivíduos classificados como notificados, foram registrados: 30 casos para a população menor que 1 ano; 144 entre 1 e 4 anos; 91 entre 5 e 9 anos; 219 entre 10 e 19 anos; 2.077 entre 20 e 39 anos; 1.230 entre 40 e 59 anos; e 501 casos para aqueles com idade superior a 60 anos. Os casos da população do sexo feminino contabilizam 2.205. Já as pessoas do sexo masculino têm 2.087 registros.

Ocupação

Em relação aos pacientes suspeitos de covid-19 em leitos de enfermaria, há 23 em rede particular e 18 em rede pública. O percentual de ocupação para a rede particular é de 29,1%, enquanto a rede pública totaliza 32,1%.

Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados por suspeitos da doença são, da rede privada, 16, e na rede pública, 14. Há 64 leitos disponíveis nessa modalidade. O número de pacientes atendidos em ambulatório, identificados durante a epidemia, totaliza 2.008. 

 

O secretário Municipal de Saúde, Amarildo Souza, alerta que a taxa de letalidade do município para a doença chega a 3,59% e pede mais cautela nas ações e respeito às normas sanitárias de combate ao vírus estabelecidas.

— Nosso ritmo de contágio está atingindo 1,25, o que mostra que a população não está seguindo as medidas de segurança estabelecidas pelo órgão público. Mesmo com as iniciativas de combate feitas pela secretária, a taxa de isolamento em Divinópolis chega a apenas 35%. Estamos tomando as medidas necessárias para punir os infratores contra a vida e comunicamos que é preciso ter consciência pela saúde do próximo, principalmente as pessoas que estão no grupo de risco — conclui ele.

Comentários
×