Divinópolis tem risco médio de infestação de dengue

Da Redação

A Secretaria de Saúde de Divinópolis divulgou nesta quarta-feira, 29, o resultado do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypt (Liraa). De acordo com o relatório, foram visitados 4.884 imóveis, de 13 a 17 de agosto. Os resultados apresentaram 1,9% de risco de infestação.

Segundo o levantamento, o percentual deixa o município com risco médio de infestação. O total de 88,3% dos focos está nas residências e 11,7%, nos lotes vagos.

Em relação aos tipos de recipientes que acumulam água e onde foram encontrados focos, estão aqueles passíveis de remoção, como baldes, garrafas e pneus, dentre outros, com 32%. Os depósitos móveis, como pratos e vasos de plantas, têm 30% dos focos.

Os locais de armazenamento de água para consumo, como tanques e caixas d’água, 22%, Os depósitos, como ralos, caixas de passagem e fonte ornamental, apresentaram 16% de focos encontrados.

A região Sudeste tem 2,8% de risco de infestação. Nordeste, 2,7%. Norte, 2%. Oeste, 1,6%. Central, 1,5%. Com risco médio de epidemia, de acordo com levantamento da Semusa. Já a região Sudoeste apresenta 0,7%, com índice baixo de infestação.

O Liraa é uma pesquisa para detectar a presença de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre amarela, da chikungunya e do zika vírus. A Vigilância Ambiental realizou vários mutirões nos últimos meses com objetivo de minimizar os possíveis focos do mosquito.

Dentre os bairros onde foram encontrados mais focos estão Paraíso, São Luís, Sidil, Manoel Valinhas e Santa Rosa.

Comentários
×