Divinópolis tem números positivos em emprego formais

Segmentos da indústria e do comércio são os destaques do mês de julho

Da Redação 

Pela primeira vez, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgou números positivos, desde o início da pandemia em Divinópolis. A cidade registrou no mês passado mais contratações, 1.471, do que demissões, 1.385, gerando assim um saldo positivo de 86 vagas de empregos formais.  

De olho em um planejamento visando à manutenção de empregos, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis solicitou, durante o fechamento do comércio, a previsibilidade de reabertura para que o empreendedor entendesse as perspectivas quanto aos riscos de fechar, abrir, ou mesmo outra decisão.  O presidente da entidade, Luiz Angelo Gonçalves, explica que desde julho, quando os comerciantes tiveram maior certeza, os negócios ficaram mais claros quanto ao protocolo que estava sendo seguido. 

— Isso melhorou o planejamento das empresas, o que permitiu a volta da contratação. Certamente, se a gente tiver a volta do atendimento no sábado, por exemplo, vamos voltar a ter mais contratações no comércio, já que foi o segmento que mais demitiu, cerca de mil pessoas durante a pandemia. Agora, é natural que haja uma recuperação a partir do momento em que as atividades estão mais próximas da normalidade — avaliou.

Sábado

O dia de sábado sempre foi tradicional para o comércio varejista, especialmente em se tratando de aquecimentos nas vendas. 

— Inclusive essa é outra solicitação que a CDL tem feito à Prefeitura, para considerar o retorno do sábado, pois a gente já viu que isso é feito de uma forma segura. São mais de cinco meses que o sábado não funciona na cidade, de uma forma geral. A decisão precisa ser considerada para dar outro impulso nas contratações aqui na nossa cidade — exemplifica Luiz Angelo. 

Segmentos

O maior destaque foi para o segmento da indústria, que fechou o mês com 391 admissões contra 310 desligamentos, gerando saldo positivo de 81 vagas. Depois, veio o comércio, com 464 contratações e 413 demissões, saldo positivo de 51 postos. O setor do agronegócio foi o único que ficou estável, com oito contratações e mesmo número de demissões. Já os segmentos que fecharam negativos foram o da construção civil com 124 admissões contra 143 desligamentos, ficando negativo em 19 vagas e, o pior deles, o de serviços que teve 484 contratações contra 511 demitidos, negativando em 27 postos de trabalho

— Como relatado, as vagas de emprego em Divinópolis ficaram positivas. E aí, quando a gente entende a segmentação desse resultado, podemos observar que um dos setores que gerou muito emprego foi o do comércio. O do agronegócio permanece com a mesma tendência do ano todo. Outro que surpreende muito positivamente é o da indústria, que está voltando a contratar, reflexo também das atividades comerciais que acabam comprando da indústria. O que vai realmente de forma ruim é o setor de serviços e não poderia ser diferente, pois existe ainda muita restrição na atividade do setor. Precisamos, então, considerar as academias, que agora tiveram muita instabilidade, bares, restaurantes, setor de festas, dentre outros que estão muitos comprometidos ainda, e que geraram muitas demissões e, provavelmente, poderemos esperar mais para os próximos meses, se nada mudar em relação ao que se encontra no momento — finaliza Luiz Angelo. 

Comentários
×