Divinópolis tem nova morte por covid e quatro crianças internadas em CTIs

Números atualizados foram divulgados ontem pela Secretaria de Saúde

Da Redação

Divinópolis registrou mais uma morte por covid-19 ‒ a 48ª, no total. O paciente, de 86 anos, morava na cidade, mas estava internado no Hospital Vera Cruz, em Belo Horizonte. Segundo a Prefeitura, ele era portador de pneumopatia crônica, foi hospitalizado no dia 2 de agosto e morreu nove dias depois.

Anteriormente

A cidade já havia confirmado mais uma morte na terça-feira, 15. O paciente, de 72 anos, do sexo masculino, tinha doença cardiovascular crônica e hipertensão arterial. O homem, que veio a óbito no domingo, 13, estava hospitalizado desde o último dia 11, na UPA, e recebeu todos os atendimentos estabelecidos pelos protocolos do Ministério da Saúde para pacientes com suspeita da covid-19. O exame de RT-PCR  teve resultado detectável, confirmando a morte pelo vírus.

Dados

Até ontem, Divinópolis contabilizava 11.572 notificações. Desse total, 1.768 foram testadas: 1.262 positivas, 487 negativas e 19 em análise. Além disso, há 52 pacientes com quadro sintomático para a doença internados em setor de enfermaria e outro 29 em leitos de Centros de Terapia Intensiva (CTIs). Conforme também informa o boletim epidemiológico, quatro crianças estão em internadas em CTIs. A taxa de ocupação desses leitos é de 34,5%.

Internação de crianças 

Duas das crianças são residentes na cidade: uma menina de 12 anos e outra de um ano e dez meses. Há, também, um menino de dois anos de São Sebastião do Oeste e outro de Lagoa da Prata. 

Balanço

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) divulgou também os dados do serviço Telecovid referentes ao mês de agosto. Foram efetuados 5.708 contatos, com 3.651 atendimentos de 799 pacientes. Desde a sua implantação, no mês de maio, o serviço realizou 7.521 atendimentos de 1.491 pacientes.

Na plataforma, o usuário cadastrado passa por um atendimento denominado nível 1, no qual preenche seus dados e é encaminhado para a próxima etapa. No nível 2 (atendimento de enfermagem) ou 3 (atendimento médico), o paciente é analisado e, de acordo com o quadro clínico retratado, pode ser encaminhado para uma Unidade Básica de Saúde (UBS), urgência ou para o Programa de Monitoramento, em que o paciente é contatado periodicamente por um profissional para avaliar a situação.

Indicadores 

No último mês, o Telecovid efetuou 2.374 monitoramentos. Destes, 364 tiveram o auxílio de um médico, 497 acompanhados de um enfermeiro e 416 atendimentos foram efetuados por meio de ligações telefônicas. Em média, 174 pacientes foram atendidos por dia no mês de agosto. 

Dos 799 pacientes atendidos, 42 foram encaminhados para Unidades Básicas de Saúde, 26 para urgência, 21 receberam recusa do termo e outros 703 tiveram acompanhamento pela plataforma, que constatou eficácia em 92% dos atendimentos.

As ligações telefônicas duraram, em média, seis minutos, compreendendo dez por hora. Os atendimentos com auxílio de um enfermeiro têm a média de 22 minutos, o que equivale a 2,7 em uma hora. Já o acompanhamento médico dura em média 21 minutos, com 2,9 atendimentos por hora. O programa de monitoramento recebe cinco atendimentos por hora, com aproximadamente 12 minutos de duração. Os dados são referentes aos contatos que duraram menos de 90 minutos.

O sexo feminino compreende o maior número de pacientes desde a implantação do Telecovid, com 926 atendimentos. Enquanto isso, 527 homens foram atendidos na plataforma.

Como utilizar?

Ao abrir o App Divinópolis, o usuário deve selecionar a opção "Serviços". Em seguida, a aba "Coronavírus", na qual haverá a modalidade "Telecovid-19". Assim que acessar esta opção, o aplicativo solicita o envio uma palavra para iniciar de atendimento.

O App Divinópolis é gratuito e está disponível nas lojas de aplicativos Play Store (Android) e App Store (IOS). O atendimento também é realizado por telefone, pelo número 3229-6810.

Comentários
×