Divinópolis tem candidata ao Conselho de Política Cultural de Minas

Márcio Almeida Jr.

 

Divinópolis tem uma candidata ao Conselho Estadual de Política Cultural (Consec-MG), que abriu edital para a escolha de membros, a ser feita por votação online da população mineira. Trata-se de Lara Ordones, gestora, produtora e consultora de projetos de cultura. Com dez anos de trabalho dedicados exclusivamente à área, Lara disputa a cadeira de produção cultural do órgão, que tem 34 membros, metade representando entidades governamentais e metade representando a sociedade civil.

O Consec tem caráter consultivo, propositivo, deliberativo e de assessoramento superior. Está ligado à estrutura da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult-MG) e tem importância decisiva na democratização das decisões sobre política cultural tomadas pelo governo de Minas.

Os representantes do poder público no Consec são indicados pelas próprias entidades, órgãos e instituições governamentais. Já os representantes da sociedade civil são eleitos na forma do edital lançado pelo governo, nos seguintes segmentos: Artesanato; Audiovisual e novas mídias; circo; Culturas afro-brasileiras; culturas indígenas; culturas populares, tradicionais e folclóricas; dança; Design; entidades de trabalhadores e entidades empresariais; Gastronomia; Literatura, livro, leitura e biblioteca;  Moda; Museus e artes visuais; música; patrimônio material e imaterial; produção cultural; teatro. Lara Ordones disputa a vaga de representante do setor de Produção Cultural.

 

A candidata

 

Com bom trânsito entre os diversos segmentos que atuam na cultura divinopolitana, a gestora cultural justificou a candidatura em texto veiculado em sua rede social.

— Resolvi me candidatar, pois conheço de perto as dificuldades enfrentadas por todos da área cultural e quero contribuir para a construção das políticas públicas do nosso Estado — escreveu.

Em Divinópolis, a experiência de Lara Ordones inclui o apoio e o assessoramento a diversos artistas que pleitearam recursos da Lei Aldir Blanc. A lei foi criada com o objetivo de liberar de modo emergencial recursos governamentais para custear projetos culturais que possam ajudar artistas de diferentes segmentos a enfrentar a interrupção das atividades durante a pandemia de covid-19. Para ter acesso aos recursos, os interessados devem elaborar projetos com uma metodologia específica, na qual Lara se tornou uma referência em Divinópolis e região.

 

Para votar

 

Poderão votar para a escolha dos membros do Consec, nos termos da Lei nº 23.304/2019, pessoas físicas residentes no estado de Minas Gerais, que sejam maiores de 16 anos Os interessados em participar da escolha deverão preencher os dados pessoais na plataforma digital disponibilizada no portal da Secult (www.secult.mg.gov.br). A comprovação de residência em Minas Gerais, nos termos da Lei Federal nº 7.115/1983, se dará por meio de preenchimento do endereço de domicílio no link disponibilizado no site da Secult. Também é possível acessar o ambiente virtual de voto por meio do perfil mantido por Lara Ordones no Instagram. A página, que é aberta, pode ser acessada a partir de pesquisa feita a partir do nome da gestora cultural.

 

 

Comentários
×