Divinópolis tem 64 pacientes internados em leitos para covid-19

Da Redação

De acordo com o boletim epidemiológico de covid-19, Divinópolis tem 19 mortes decorrentes da doença, 509 confirmações, 291 casos descartados, 416 recuperados e continua com 4.292 suspeitos. As informações são atualizadas pelo Ministério da Saúde, por meio da plataforma “FormSUScap”. 

Ocupação 

A Semusa informou que a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) encontra-se em 29,8%. São 16 pacientes hospitalizados em rede particular e 12 na rede pública. 

O percentual de ocupação dos leitos de enfermaria está em 26,7%. São 17 pacientes em rede particular e 19 em rede pública. Os pacientes internados ou que foram atendidos no ambulatório, e estão em isolamento domiciliar, somam 2.025 ao todo.

Notificações

Em relação aos casos suspeitos, a população do sexo feminino é a mais atingida, com 2.205 notificações. Enquanto isso, o sexo masculino contabiliza 2.087 casos. 

Quanto à faixa etária dos suspeitos, o novo registro aponta: 30 casos para a população menor que 1 ano; 144 entre 1 e 4 anos; 91 entre 5 e 9 anos; 219 entre 10 e 19 anos; 2.077 entre 20 e 39 anos; 1.230 entre 40 e 59 anos; e 501 entre as pessoas com idade superior a 60 anos. 

Confirmações

Das confirmações, o maior número de casos está entre os pacientes com idade entre 40 e 59 anos, são 201 ao todo; seguidos da população de 20 a 39, que registra 198 casos confirmados.  270 são do sexo feminino e 239 do sexo masculino.

O secretário de Saúde, Amarildo Souza, alerta a população para o número crescente de casos e pede que o cidadão respeite o isolamento. 

— O índice de contaminação por 100.000 habitantes está 213,66, enquanto o de adesão ao isolamento marca 35%. Os casos confirmados, suspeitos e mortes subindo a cada dia e a população aderindo cada vez menos ao isolamento. Se não mudarmos nossas mentes e agirmos com responsabilidade, os números subirão rapidamente, nos obrigando a tomar novas medidas de enfrentamento. Por isso pedimos que não façam festinhas, saiam só para o necessário, usem máscaras, higienizem as mãos e evitem todo tipo de aglomerações. Precisamos lutar contra essa doença juntos — enfatiza Amarildo.

Comentários
×