Divinópolis soma 8 homicídios em 8 dias

Gisele Souto 

Menos de 24 horas depois do primeiro homicídio e 12h do segundo, Divinópolis registrou o terceiro. Em oito dias, a cidade contabiliza oito pessoas assassinadas. O último foi por volta das 19h20 de quinta-feira, 3, na rua João Luiz Ribeiro, no Conjunto Habitacional Nilda Barros. 

A vítima é Ronierison Xavier Costa, de 28 anos. Quando o socorro do Samu chegou, ele já estava morto.  

Segundo informações de testemunhas à Polícia Militar (PM), foram ouvidos seis disparos de arma de fogo próximo de onde o corpo estava caído.  

De acordo com a PM, o rapaz possuía várias passagens pela polícia por roubo, furto, porte ilegal de arma e outras que podem ter ligação com o homicídio. 

O veículo VW/Voyage, de propriedade da vítima, foi removido para o pátio.  

Os outros 

A primeira execução da semana foi registrada na noite de quarta-feira, por volta das 20h10, na rua travessa Sargento Valério, no bairro Porto Velho. Um jovem de 18 anos estava na sala de casa quando dois suspeitos encapuzados invadiram o local e efetuaram diversos disparos contra ele.  

Segundo informações de testemunha à PM, o rapaz teria saído do Centro Socioeducativo na sexta-feira última, por possível envolvimento com homicídio. Ele foi preso duas vezes por posse ilegal de arma de fogo e tinha antecedente por tráfico de drogas. Há a suspeita ainda de disputa por ponto de tráfico ou acerto de contas. 

Já por volta das 5h50 de quinta-feira, foi a vez de moradores do bairro Halim Souki acordarem assustados com o barulho de tiros. Eder Rodolfo da Silva, de 38 anos, foi assassinado no bairro Halim Souki. Ele cumpria pena no regime semiaberto no Floramar e foi baleado quando voltava do presídio de moto e seguia para casa. Os suspeitos estavam em uma XRE e fugiram em seguida.  

Nos três casos, a PM realiza rastreamento e a Polícia Civil investiga, mas até o fechamento desta página, por volta das 17h30 de sexta, 4, ninguém havia sido preso. 

Denúncia  

A PM recomenda a quem possuir informações sobre os autores do crime que faça a denúncia pelo número 190 ou pelo Disque Denúncia no 181. Não é necessário se identificar.    

É maior  

Com os três assassinatos, o número dos quatro primeiros meses de 2018 é bem maior do que os de 2017. No mesmo período no ano passado, haviam sido contabilizados 19, enquanto neste ano já são 24. 

Causa 

A principal causa não é segredo para ninguém, como afirmam os representantes das polícias Civil e Militar em Divinópolis: o tráfico de drogas. Não somente em Divinópolis, mas em diversos municípios brasileiros, conforme disse o delegado regional Leonardo Pio. De acordo com ele, dos crimes registrados na cidade até o momento, somente quatro não estão relacionados com esta prática criminosa. 

— A criminalidade violenta hoje tem seu fomento no tráfico de drogas, responsável pela prática da maior parte dos crimes. As drogas têm aportado na cidade de vários locais, inclusive por meio de transporte interestadual, como a do Mato Grosso que apreendemos na última operação — explicou o delegado. 

Sobre os últimos assassinatos, o delegado revela que estão ainda em apuração e, em princípio, não dá para afirmar se possuem ligação entre si. 

 

Comentários
×