Divinópolis soma 50 mortes por covid

Mais dois óbitos foram confirmados ontem; três crianças estão internadas em CTIs

Da Redação

Divinópolis está na onda verde. Porém o sinal ainda é de alerta. Os números da covid-19 continuam subindo, incluindo as mortes. A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) confirmou ontem mais dois óbitos pela doença. Os indicadores reforçam as explicações dadas pela pasta na última semana, quando o Comitê Municipal decidiu ficar na onda amarela: “Mesmo com a pontuação reduzida, os índices de Divinópolis a colocam em uma situação de alerta”. Ou seja, apesar da mudança de onda, caso não haja estabilização ou melhora dos indicadores, a Microrregião ou a Macrorregião podem regredir de onda.

Dados

Segundo o boletim divulgado ontem, Divinópolis tem 11.947 casos notificados de coronavírus. Desses, 1.308 testaram positivo, 507 negativos, 22 estão em análise e o restante não foi examinado. O índice de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para pacientes com quadro sintomático para doença chegou a 52,4% ‒ incluindo três crianças internadas com sintomas da doença.

Mortes

A primeira vítima, uma mulher, de 58 anos, morreu no sábado, 19, e era portadora de doença cardiovascular crônica e diabetes. Ela foi hospitalizada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no dia 23 de agosto. Três dias depois, testou positivo para covid-19 e, no dia 7 deste mês, foi transferida para o Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD), onde não resistiu ao agravamento de seu quadro de saúde.

A segunda morte também ocorreu no CSSJD. Um homem, de 69 anos, foi internado na UTI do hospital no dia 12 de setembro. Ele era portador de doença cardiovascular crônica e diabetes e morreu ontem.

Sinal aberto

Publicado ontem no Diário Oficial dos Municípios Mineiros, o texto de flexibilização, em vigor desde o último sábado, autoriza a retomada das atividades econômicas contempladas na onda verde. São elas: atividades artísticas, como produção teatral, musical, de dança e de circo; cinemas; feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê; parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca; bares com entretenimento (shows e espetáculos); e serviços de colocação de piercings e tatuagens.

A Prefeitura, no documento, esclarece que os eventos devem respeitar todas as normas estaduais no tocante à lotação máxima, ou seja, 30 pessoas.

— Todas as atividades permitidas na onda verde deverão seguir obrigatoriamente os protocolos do Plano Minas Consciente, as orientações do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19, além das diretrizes da Vigilância Sanitária Municipal — esclareceu.

Por fim, o Executivo esclarece que as atividades permitidas precisam, obrigatoriamente, respeitar os dias e horários de funcionamento previamente definidos pelo comitê municipal.

Com a avaliação do Comitê Estadual de Combate ao Coronavírus na última semana, a Macrorregião Oeste, onde Divinópolis está inserida, alcançou 12 pontos e está apta entrar na onda verde do programa Minas Consciente, do Governo de Minas. Das dez cidades da macro, Divinópolis é a única que individualmente tem os números para entrar na onda verde.

Encontro

Os membros do comitê se reuniram na última sexta-feira, 18, para discutir o cenário na cidade. Na primeira etapa dos trabalhos, além dos integrantes do grupo, houve a participação de representantes da área da Educação da Prefeitura para tratar da retomada das aulas no município. Os protocolos  estão  sendo estabelecidos, mas ainda não  há  uma data estabelecida.

Ficou definido que igrejas passam a abrir todos os dias, com a exigência do respeito ao distanciamento e a manutenção dos critérios e orientações já estabelecidos pela Vigilância Sanitária. 

— Música ao vivo em bares também  está  liberada, também dentro das normas já  anunciadas. O horário de fechamento dos bares permanece às 23h. Já os playgrounds em bares, bilhar e similares permanecem proibidos — informou um dos membros.

Comentários
×